Sábado, 20 de julho de 2019 Edição nº 15219 15/05/2019  










AUTOMOBILISMOAnterior | Índice | Próxima

GP do Brasil de 2020 será em São Paulo

JULIANNE CERASOLI
Da Uol/Folhapress – Londres

A disputa entre Rio de Janeiro e São Paulo para definir quem ficará com o GP do Brasil a partir de 2021 continua aberta, mas o presidente executivo da FOM, empresa que controla os direitos comerciais da F-1, Chase Carey, assegurou que a etapa brasileira de 2020 segue em São Paulo, diferentemente do que declarou o presidente Jair Bolsonaro em evento na semana passada.

"Temos um acordo firmado com São Paulo para 2020", disse Carey. "Temos uma boa relação com São Paulo. Mas temos que resolver o que fazer em 2021. Estamos em negociações com ambas as cidades e apreciamos o interesse das duas cidades, já que o Brasil é um mercado importante para nós e uma parte importante de nossa história. Estamos animados para avançar nessas negociações e seguir adiante, tomar uma decisão."

A FOM busca acabar com as regalias do Brasil, que atualmente não paga a taxa para receber o GP, diferentemente do que ocorre em 19 das 21 etapas do campeonato - a outra exceção é o GP de Mônaco. A maioria das provas paga de US$ 20 milhões a US$ 25 milhões (R$ 79,8 milhões a R$ 99,7 milhões) anualmente para receber as corridas.

O contrato especial de São Paulo só foi possível pelas relações comerciais estreitas entre os promotores de São Paulo e o ex-chefão da F-1, Bernie Ecclestone. E o desejo da FOM é que essa estrutura seja alterada. A Prefeitura de São Paulo espera Carey em junho na cidade para prosseguir com as negociações.

Já no Rio de Janeiro, o autódromo ainda teria de ser construído na região de Deodoro. Embora os promotores assegurem que o projeto esteja adiantado, o processo de concessão da área ainda não foi concluído e ambientalistas têm freado a licitação, uma vez que existe a dúvida se o lugar é uma área de preservação de Mata Atlântica.

Confiante de que esses entraves serão superados, a Rio Motorsports fala em construir a pista em um prazo de 14 a 17 meses, abrindo a possibilidade de receber a etapa já em 2020, mas apostando em tirar a corrida de São Paulo após o término do atual contrato.

Seja qual for a decisão, Carey reitera a vontade da F-1 em permanecer no Brasil, país que representa, sozinho, cerca de 20% da audiência mundial da categoria. "É um mercado muito importante. Alguns dos nossos melhores números vêm de lá e também, algumas de nossas melhores corridas. Estamos focados e comprometidos em continuar correndo no Brasil. Só temos de resolver qual o melhor caminho a partir de 2021", afirmou.

O GP do Brasil de 2019 está confirmado para os dias 15, 16 e 17 de novembro, no autódromo de Interlagos.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:08 MT Prev arrecada R$ 1,3 bilhão a menos que o necessário para pagar aposentados
18:07 Eleição para prefeito em Cuiabá divide tucanos
18:07 Governo conclui pagamento da folha de junho
18:06 Jovem agride ex-companheira em delegacia e é preso
18:05 Preso rapaz que estuprou e matou criança de 8 anos


18:04 Exame identifica segunda ossada de mulher desaparecida
18:04 Irmãos são assassinados e levados para UPA que acaba fechada
18:03 Coronel confessa grampo a pedido de Pedro Taques
18:01 Erros de advogados iniciantes
18:00 Capital humano
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018