Domingo, 26 de maio de 2019 Edição nº 15205 24/04/2019  










ÍNDIOS/PROTESTOAnterior | Índice | Próxima

Governo está disposto a dialogar

GUSTAVO URIBE
Da Folhapress – Brasíli

Em meio a um cenário de tensão, o ministro da Secretaria de Governo, Carlos Santos Cruz, fez um aceno à comunidade indígena e disse que a gestão federal está disposta a estabelecer um canal de diálogo.\r\nNa noite de ontem, começam a chegar em Brasília líderes indígenas que participarão do Acampamento Terra Livre, o maior encontro dos grupos étnicos no país. A previsão é que o evento reúna cerca de 4 mil pessoas.\r\nNa semana passada, o presidente Jair Bolsonaro criticou o encontro, promovido desde 2004, e autorizou que a Força Nacional realize a segurança da Esplanada dos Ministérios em período coincidente ao acampamento indígena, o que gerou clima de animosidade.\r\nO ministro disse à Folha de S.Paulo que se tudo for feito com \"ordem\" e \"educação\" não haverá \"problema nenhum\", que o importante é haver \"respeito mútuo\" e que o interesse do governo é cumprir a sua função de \"identificar, equacionar e resolver problemas\".\r\n\"O governo está empenhado em possibilitar o acesso direto dos indígenas aos diferentes órgãos federais, sem intermediários, a fim de ouvir problemas e sugestões. E esclarecer e fazer todo o esforço para solucionar as questões e melhorar as condições de vida dos brasileiros indígenas\", afirmou.\r\nEle ressaltou que normalmente atende todos aqueles que solicitam um encontro para discutir pautas específicas e observou que o ideal, caso seja pedida uma reunião, é que ela seja coordenada pela Funai (Fundação Nacional do Índio).\r\n\"O importante é fazer as coisas com ordem, educação e respeito mútuo. O interesse do governo é a sua própria função de identificar, equacionar e resolver problemas. Isso é que é compensador para todos. Essa é a motivação de todos os setores do governo\", disse.\r\nOs participantes permanecerão na capital federal até sexta-feira (26). A ideia é que o acampamento seja instalado na Esplanada dos Ministérios. Para a coordenadora-executiva da APIB (Articulação dos Povos Indígenas do Brasil), Sonia Guajajara, não há motivo \"para se esconder\".\r\n\"É a primeira vez que ocorre comportamento antecipado de tentar impedir a chegada das delegações. É uma forma clara de impedir uma manifestação\", criticou.\r\nComo todos os anos, o propósito do encontro é fortalecer a identidade indígena e unificar o discurso. Com as mudanças implementadas pela gestão atual, no entanto, a lista de reivindicações aumentou.\r\nNeste ano, o movimento irá protestar contra a transferência da Funai da pasta da Justiça para a de Direitos Humanos e a mudança da atribuição de demarcação de terras indígenas para a Agricultura.\r\nA mobilização também é contrária a parte do atendimento à saúde indígena ser repassada a estados e municípios e ao discurso do presidente de integrar comunidades indígenas à sociedade.\r\n

Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:46 BOA DISSONANTE
19:45 Professores aprovam greve a partir de segunda
19:42 Educadores e a reforma da previdência
19:41 Vitória da sensatez
19:41 Um SIM à adoção


19:40 O Traidor concorre à Palma de Ouro com comentário político e retrato da máfia
19:40
19:39 Lucy Alves prepara disco mais autoral, dançante e com rifs eletrônicos
19:38 Jeza da Pedra prepara disco com crônicas musicais do Rio
19:37 Malcom terá noite sinfônica neste sábado
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018