Sexta feira, 22 de março de 2019 Edição nº 15178 14/03/2019  










VAREJOAnterior | Índice | Próxima

Empresários querem se manter na atividade, conforme pesquisa

Da Reportagem

Apesar de todas as dificuldades e incertezas econômicas vivenciadas nos últimos anos, a maior parte dos empresários mato-grossenses, do comércio e da prestação de serviço, querem se manter atuantes em seus setores. Além de manterem suas portas abertas, eles pretendem investir nos seus segmentos, inclusive, em contratações.

As informações foram obtidas por meio de uma pesquisa realizada pela Câmara dos Dirigentes Lojistas de Cuiabá (CDL), com o intuito de conhecer as necessidades e perspectivas dos empresários de Mato Grosso no atual cenário econômico brasileiro. Comerciantes de diversas cidades do Estado foram entrevistados, sendo que 75% dos entrevistados foram do ramo do comércio e 25% prestadores de serviços. Deste montante, 96,7% disseram que pretende continuar na sua atividade atual, contra 2,5% que pretendem mudar de ramo e 0,8% ainda não sabem.

Ao serem perguntados se pretendem investir nesta atividade em que atua nos próximos quatros anos, 93,3% responderam que sim, contra 3,4% que disseram que não e 3,3% afirmaram não saber. Já em relação a sua expectativa para Mato Grosso em 2019, em termos do crescimento econômico e social considerando o PIB (Produto Interno Bruto), 72,5% esperam crescimento.

A expectativa dos empresários sobre o crescimento para a sua empresa em 2019 também é boa, já que 88,3% disseram acreditar no aumento das vendas, com média de 23,9%.

O levantamento de dados também revela os principais problemas que travam o crescimento atual da classe empresarial e que precisam ser enfrentados nos próximos quatro anos, na visão dos entrevistados, são, principalmente as questões tributários e políticas de incentivos e atração de investimentos no setor 37,4%, Capacitação e Oferta da mão de obra 12,1%, Logística 8,6%, Crédito e Financiamentos (montante, burocracia, juros) 7,5%, Legislação Trabalhista da Mão de Obra 3,3%, Segurança (crimes, roubos) 0,6% e Pesquisa, Tecnologia e Inovação 0,6%.

Para o superintendente da CDL Cuiabá, Fábio Granja, conhecer o perfil do empresário mato-grossense, levando em consideração quais são suas expectativas para os próximos anos é de extrema importância para a entidade. "Com as informações que temos agora, poderemos trabalhar de acordo com o que esse empresário espera e saber que ele está otimista já nos deixa também mais tranquilos, pois esse é o primeiro passo para o crescimento de um negócio, o qual vai contribuir diretamente com economia do Estado gerando emprego e renda para famílias", disse Granja, que também ficou extremamente contente com o nível de satisfação em relação a contribuição e auxilio da entidade para as empresas.

Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:52 Múltiplas tragédias, uma causa!
17:42 Deputado de MT cobra urgência na análise do FEX
17:41 Wilson Santos e Ricardo Saad disputam comando do PSDB
17:41 Botelho acredita que pedido de empréstimo do governo passará na AL
17:41 Mauro acerta com bancada federal destino de recursos


17:13 Cuiabá rumo aos 300 anos
17:12 Não se pode negar a diferença
17:12 Twitter e imprensa
17:11 Temer na cadeia
17:09
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018