Quarta feira, 20 de março de 2019 Edição nº 15162 16/02/2019  










GUARIBA-ROOSEVELTAnterior | Índice | Próxima

Decisão garante ampliação de reserva extrativista

Da Reportagem

Garantida a conservação de mais de 107 mil hectares que seriam retirados da Reserva Extrativista Guariba-Roosevelt, única comunidade extrativista tradicional de Mato Grosso. Pelo menos é o que está previsto em decisão do Tribunal de Justiça do Estado. As populações que vivem de forma sustentável na área aguardavam o julgamento definitivo da ação civil pública, em que eram questionados os efeitos de um decreto legislativo que reduzia a área protegida, de 164.220 hectares para 57.630 hectares.

A reserva foi criada em 1996 com uma área de 57.630 hectares localizada no município de Aripuanã (1.002 quilômetros, a noroeste de Cuiabá). Deste período até 2013, houve várias alterações dos limites da reserva, que ocasionaram conflitos fundiários, invasões irregulares, insegurança aos extrativistas e riscos ambientais. Em 2015, o Decreto Estadual nº 59/2015 ampliou a reserva extrativista para 164.224 hectares, atendendo os anseios das comunidades tradicionais.

Porém, no ano seguinte, o Decreto Legislativo n. 51/2016 reduziu a área da reserva em mais de 70%.

Agora, o juiz Rodrigo Roberto Curvo, da Vara Especializada do Meio Ambiente de Cuiabá, declarou nulo o Decreto Legislativo nº 51/2016, de forma a garantir a área integral da reserva aos povos da floresta que vivem da extração de castanha, borracha, óleo de copaíba, pesca e agricultura de subsistência.

A decisão considerou os dispositivos da Constituição Federal, da Constituição Estadual e de leis infraconstitucionais que exigem a edição de lei específica para a alteração e supressão de unidades de conservação, a qual deve ser precedida de estudos técnicos e de consulta pública – condições que não foram observadas na elaboração referido decreto.

“Logo, não se admite inovação no campo legislativo que venha a suprimir legislação que tenha por finalidade a tutela do meio ambiente, salvo se o seu objetivo é ampliar essa proteção, o que não se verifica em relação ao Decreto Legislativo nº 51/2016, que, repita-se, ao sustar os efeitos do Decreto Estadual nº 59/2015, promoveu retrocesso legislativo da tutela ambiental já consolidada, pois implicou em significativa redução dos limites da Reserva Extrativista Guariba-Roosevelt, de 164.224 ha para 57.360 ha, conforme amplamente exposto, em evidente afronta ao princípio da vedação do retrocesso ecológico”, diz trecho da decisão.

Também foi cancelada a tramitação de todos os processos de regularização e legitimação de posse de áreas inseridas no interior da reserva; condenou o Estado a não emitir títulos de propriedade na área pública ou devoluta da reserva e ainda assegurou a indisponibilidade das terras, a fim de que sejam incorporadas ao patrimônio do Estado e destinadas à reserva extrativista.

Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




08:34 Cuiabá Urgente
18:13 Câmara aprova taxação de aplicativos de transporte
18:12 Desafiando objeções em vendas!
18:12 Para cada Marielle, Anderson e Juliane
18:11 Desigualdade e evasão escolar


18:11 O declínio moral da humanidade
18:10 Final de 'Big Bang Theory' emociona elenco
18:10 Na onda de Netflix e Amazon, YouTube Originals investe em produções próprias
18:10 'Big Bang Theory' terá último episódio exibido no Brasil em junho
18:09 Sem Paulo Ricardo, RPM esta de volta
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018