Quinta feira, 22 de agosto de 2019 Edição nº 15159 13/02/2019  










INCÊNDIOAnterior | Índice | Próxima

Diego chora em entrevista no Rio

Arquivo/DC
Diego se emocionou ao atender os jornalistas na terça e, em lágrimas, precisou interromper a coletiva por mais de um minuto
VINICIUS CASTRO
Da Uol/Folhapress – Rio

O meia Diego foi o primeiro jogador do Flamengo a conceder entrevista desde o incêndio ocorrido no alojamento do Ninho do Urubu, centro de treinamentos do clube, na última sexta-feira, que deixou dez mortos e três feridos.

O jogador se emocionou ao atender os jornalistas na terça e, em lágrimas, precisou interromper a coletiva por mais de um minuto. Ele pediu desculpas quando falava sobre os contatos com Cauan Emanuel, um dos feridos na tragédia e que foi visitado pelos atletas no hospital.

\"Ele me mandou uma foto comemorando gol e perguntou: \'Conhece essa comemoração? Eu me inspiro em você\'. Temos que seguir. Seremos inspirações\", afirmou o camisa 10 flamenguista.

\"Temos procurado enfrentar a situação da melhor forma possível. Não temos respostas para tudo, mas precisamos seguir de alguma forma. Acredito que precisamos honrar e dignificar esses garotos. Precisamos manter o sonho deles vivo. Fazer o que fizeram. Competir e ser feliz. Vou completar 34 anos e estou vivendo esse sonho. Nós sentimos nessa obrigação\", completou.

O meia também elogiou a estrutura do Flamengo e as melhorias que o clube realizou ao longo do tempo. Por fim, declarou que será preciso superar o episódio e seguir. \"A emoção virá. Carregaremos essa situação. As pessoas não podem confundir quando estivermos no treinamento, um jogo, competindo, sorrindo, que deixaremos de lembrar em algum momento. Carregaremos isso conosco\", disse.

BANDEIRA DE MELLO

O ex-presidente do Flamengo Eduardo Bandeira de Mello se pronunciou pela primeira vez após a tragédia que vitimou dez jovens atletas da categoria de base que dormiam em um container que pegou fogo no centro de treinamento Ninho do Urubu. Inicialmente ele lamentou a tragédia, mas não demorou a se esquivar ao ser perguntado sobre as 31 multas recebidas pelo clube. Em seguida, o ex-cartola fez elogios ao alojamento que recebia os adolescentes.

Ao ser questionado sobre as multas, Bandeira se esquivou. Não confirmou que o assunto chegou até ele e preferiu responder dizendo que o Flamengo jamais havia sido informado sobre problemas de segurança no trabalho ou no alojamento. Primeiro disse que determinados assuntos não chegam à presidência para depois se esquivar sobre penalizações impostas pela Prefeitura.

\"Esses assuntos nem sempre chegam à alta administração. Posso garantir que nunca houve nenhum tipo de interdição ou auto de interdição baseado em segurança de trabalho. Isso eu posso garantir. Estranho as declarações que a Prefeitura tenha tentado interditar e não tenha conseguido. Isso é surreal. O que me lembro é que a Prefeitura, através da secretaria de criança e do adolescente elogiou o que vinha sendo feito pelo Flamengo justamente na questão sobre o tratamento das crianças. Sobre multas não sei dizer, mas certeza que não chegou nada ao Flamengo sobre problemas de segurança no alojamento\", disse o ex-presidente do Rubro-negro à Rádio Globo.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:18 Saúde e Segurança mostram dificuldades
18:49 Maggi critica Governo Bolsonaro
18:49 BOA DISSONANTE
18:48 O ônibus, o sequestro e a segurança
18:47 Reflexões da vida


18:47 Um espetáculo atrás do outro
18:47 A complexidade do saneamento
18:46
18:46 Ingerências preocupantes
18:45 Biógrafo de Roberto Marinho terá que devolver R$ 200 mil à Companhia das Letras
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018