Domingo, 21 de abril de 2019 Edição nº 15158   










Anterior | Índice | Próxima

Vida negligenciada

No mais recente episódio, em que um incêndio atingiu o alojamento no Ninho do Urubu, as perdas humanas revoltam ainda mais por envolverem também adolescentes. No incêndio, foram destruídos igualmente os sonhos de famílias inteiras que veem no futebol uma alternativa não apenas para encaminhar seus filhos para uma profissão, mas de ascensão social.

Infelizmente, também no abrigo dos jovens atletas, faltaram medidas essenciais de segurança que poderiam ter evitado o pior. Guardadas as proporções, as causas estão ligadas diretamente à falta de cuidados mínimos em relação à integridade física das pessoas tanto no caso da Kiss, no Rio Grande do Sul, quanto no rompimento de barreiras da Vale, em Mariana e Brumadinho.

Quando a prevenção falha, resta à sociedade cobrar rigor na apuração de responsabilidades para permitir, pelo menos, que os responsáveis possam ser punidos. O país, porém, não pode seguir indefinidamente à espera de novas tragédias para, só então, se comprometer com promessas de que fatos provocados por negligência e falta de fiscalização não voltarão a se repetir.

Porque não aprendemos com os erros? Qual o motivo de vermos as mesmas desgraças acontecerem, manchando de sangue a nossa história, e nada fazermos? Uma conta bancária milionária permite deitar no travesseiro e dormir sabendo que tantos choram enquanto enterram seus entes queridos?

É utopia acharmos que um governo resolverá os problemas de caráter que temos como nação, mas é imprescindível que a Justiça assuma a responsabilidade de encontrar e penalizar os responsáveis, já que a impunidade é a porta para a reincidência.

Não precisamos ter um fiscal batendo em nossa porta para descobrirmos que uma barragem sem estrutura pode romper e um alojamento que não deveria existir no local pode incendiar-se. Sabemos que não é fácil enfrentar uma grande corporação, porém, o mais doloroso é encarar pais que perderam seus filhos. Dormindo. Sonhando com um futuro que nunca chegará.



Quando a prevenção falha, resta à sociedade cobrar rigor na apuração de responsabilidades para permitir que os responsáveis possam ser punidos



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:14 A reforma da Previdência
20:13 Benefícios fiscais: concessão e requisitos
20:11 Quadro de instabilidade
20:10
20:06 Miss Brasil pode não ser realizado em 2020 por falta de acordo entre Polishop e Band


20:06 Segunda temporada da série de comédia "Samantha!", com Emanuelle Araújo, chega hoje à Netflix
20:05 Maisa estreia talk show inspirada em Hebe
20:05 Programa Mais Você estreia nova competição culinária com amadores copiando chefs famosos
20:04 Tributo ao Rei: Nando Reis lança disco que recupera músicas menos conhecidas de Roberto Carlos
20:03 Ministro chama de mordaça censura a sites
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018