Sábado, 17 de agosto de 2019 Edição nº 15157 09/02/2019  










FEMINICIDIOAnterior | Índice | Próxima

Encontrado corpo de professora desaparecida em Nova Mutum

Da Reportagem

O corpo da professora Rosângela da Silva, 32 anos, foi localizado no final da tarde da última quinta-feira (07), pela Polícia Civil de Nova Mutum (264 quilômetros, ao norte de Cuiabá). A mulher estava desaparecida desde o dia 25 de janeiro passado e teve o corpo localizado na MT-249, entre os municípios de São José do Rio Claro (315 quilômetros, a médio-norte da capital), cerca de 40 quilômetros de Nova Mutum.

O delegado Rodrigo Costa Rufato contou que, anteontem, recebeu uma informação que levou ao ponto onde o corpo da professora foi depositado, provavelmente no mesmo dia que saiu de sua casa, na cidade de Nova Mutum, acompanhada do ex-namorado Alessandro Lautclenguer, 31 anos, principal suspeito do assassinato. "A Polícia Civil realiza buscas e uma equipe nossa que estava em Diamantino, mais próxima, começou as buscas nesse local e confirmou. O corpo estava próximo a ponte do Rio Arinos, cerca de 10 a 15 metros do asfalto dentro da mata. A vítima vestia as mesmas roupas do dia do desaparecimento e estava com objetos pessoais, como relógio, anéis e piercing”, explicou o delegado.

Conforme Rufato, o corpo foi localizado coberto com um lençol e alguns galhos quebrados e jogados por cima. Estava também em processo de decomposição parcial, mas parte do corpo ainda mantinha-se preservada, inclusive, tatuagens com nitidez, possibilitando identificar que se tratava da professora.

A Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) foi acionada e também compareceu no local para perícia. O corpo foi removido e encaminhado ao IML de Sorriso, para necropsia e depois deve retornar a cidade de Nova Mutum, para os procedimentos do velório. O inquérito da morte da professora, tratado como feminícidio, é investigado pela Seção de Defesa da Mulher da Regional de Nova Mutum, a qual o delegado responde, além da Delegacia Municipal.

Por meio da assessoria de imprensa, Polícia Civil informou que o principal suspeito, Alessandro Lautclenguer segue preso em Foz do Iguacú (PR), desde o dia 30 de janeiro. Ele aguarda remoção para Mato Grosso (Nova Mutum), que deverá ser feita pelo Sistema Prisional. O delegado informou que o suspeito continua mantendo-se em silencio e não colaborou para identificação do corpo da vítima. “Ele é o investigado e vai ser indiciado. Já temos elementos para indiciá-lo nos crimes de feminicídio, ocultação de cadáver, violação de domicílio e descumprimento de medida protetiva, quatro crimes”, afirmou.

Conforme a polícia, Lautclenguer, ex-namorado da vítima, foi a última pessoa vista com ela. Na noite de 25 de janeiro, o suspeito foi visto buscando Rosângela, em um contexto de forte discussão entre o ex-casal. Ambos seguiram em um veículo HB20, Hatch, cor branca. Uma amiga da vítima ficou na casa e viu Rosângela saindo com ele. Segundo o pai de Alessandro, o filho apareceu em sua casa, por volta de 6 horas da manhã seguinte, pegou algumas peças de roupa e saiu rapidamente sem conversar. Ele também deixou o carro na frente da residência.

De maneira integrada, policiais da Delegacia Municipal, da Seção Especializada da Defesa da Mulher da Delegacia Regional, Delegacia de Roubos e Furtos (Derf), e Núcleo de Inteligência, e Polícia Militar Nova Mutum desencadearam ações visando localizar o suspeito. O trabalho também contou com apoio das forças policiais de Mato Grosso do Sul e do Paraná.

Também foi apurado, que no sábado (26), o suspeito deixou a cidade em fuga ao Paraguai. Ele passou a ser monitorado e já com indícios de ter assassinado à vítima, o delegado Rodrigo Costa Rufato representou pela prisão temporária ( 30 dias), por suspeita de feminicídio.

A prisão foi decretada na terça-feira (29), pela comarca de Nova Mutum e a prisão efetuada no dia 30 de janeiro, em Foz do Iguaçu, no Paraná. O delegado informou que as investigações seguem para localização do corpo da vítima. O suspeito será interrogado nesta quinta-feira (31), na Delegacia da Polícia Civil de Foz do Iguaçu.

No dia 3 de janeiro de 2019, a vítima registrou boletim de ocorrência relatando ameaças do namorado, por não aceitar que ela terminasse o relacionamento. Ela também tinha uma medida protetiva contra ele.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:03 Juiz prevê "prisão em massa" de membros do MPE
17:02 Os eternos donos do poder
17:02 Digital influencer
17:02 O STF e o combate ao crime organizado
17:01


17:01 Sinais de alerta na economia
17:00 Exposição em Paris transforma inteligência verde da floresta em arte
16:59 Gustavo Mioto planeja novo DVD no local de seu 1º show no Nordeste
16:59 Dupla sertaneja Diego e Victor Hugo tenta se firmar com músicas românticas
16:58 Número de discos vendidos por João Gilberto é nebuloso e trava processo milionário
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018