Quinta feira, 20 de junho de 2019 Edição nº 15157 09/02/2019  










SEGURANÇAAnterior | Índice | Próxima

Homicídio, roubo e furtos caem em MT

Mato Grosso reduz índices de homicídio em 7%, 13% de roubo e 9% dos furtos em 2018

DINALTE MIRANDA/DC
Forças policiais durante operação, esta semana, na região central de Cuiabá
Da Reportagem

Mato Grosso apresentou redução de 13% nos casos de roubo (quando há violência ou ameaça) no ano de 2018. Também houve queda de 9% na incidência de furtos (quando não tem ameaça ou violência) e 7% em homicídios. Os dados são da Coordenadoria de Estatísticas e Análise Criminal, da Secretaria Estadual de Segurança Pública (Sesp), em comparação ao mesmo período de 2017.

De janeiro a dezembro de 2018, foram 18.732 mil registros de roubos contra 21.473 em 2017. Já o furto saiu dos 54.102 mil registros ,em 2017, para 49.482 casos no ano passado. Os crimes contra a vida, em 2017, somaram 985 casos contra 916, em 2018. Os números de assassinatos e roubos, em 2018, são os menores dos últimos três anos. Em 2016 foram registrados 1.086 homicídios, seguido de 985, em 2017. Já em 2016 foram 28.034 mil roubos contra 21.473, em 2017.

O secretário de Estado de Segurança Pública, Alexandre Bustamante dos Santos, enfatizou que as reduções são reflexos do fortalecimento das atividades policiais no Estado. “Conseguimos observar, principalmente no homicídio doloso, uma redução gradativa e isso é muito bom para Mato Grosso. As forças de segurança têm realizado um trabalho forte na repressão e prevenção”.

Diante dos números alcançados pelas forças de segurança pública, o delegado geral da Polícia Judiciária Civil (PJC), Mário Dermeval Aravechia de Resende, disse que as reduções foram expressivas e que o objetivo é continuar trabalhando no enfrentamento à criminalidade com investigações efetivas na capital e no interior.

“A diretoria está reestruturando a equipe visando manter estas quedas nos índices criminais. Nosso objetivo é melhorar ainda mais as frentes de combate, permitindo que a sociedade tenha mais tranquilidade na sua convivência. Buscamos uma Polícia Judiciária Civil cada vez mais integrada com as outras forças, para conseguirmos caminhar na melhoria da investigação. Há um planejamento em andamento, tanto no interior como na Capital. Estamos preparando operações e outras ações que vão impactar nestes índices positivamente”, assegurou.

Para o enfrentamento à criminalidade, o comandante-geral da Polícia Militar, coronel PM Jonildo José de Assis, disse que é essencial a manutenção do reforço do policiamento nas ruas. “Tivemos reduções significativas que foram além do planejado para o fechamento 2018. Essas ações, principalmente de roubo e furto, são resultados das operações preventivas, em que a PM, por meio de sua atividade de policiamento ostensivo e de repressão primária, tem um fator preponderante nos resultados positivos”, enfatizou.

São unidades das forças de segurança do Estado: Polícia Militar (PM), Polícia Judiciária Civil (PJC), Corpo de Bombeiros Militar (CBM), Perícia Oficial e Identificação Técnica (Politec) e Departamento Estadual de Trânsito (Detran).



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Se deve redução ao CV q da salve proibiu  - Verdade




09:09 Bolsonaro e as demissões
09:09 Bonde derruba governador
09:08 Campanha de rapper brasileiro ganha prêmio principal no Festival de Cannes
09:08
09:06 Pauline Kael, a polêmica crítica de cinema, era multifacetada e vibrante


09:04 Toy Story chega ao quarto filme com mensagem de igualdade
09:02 Com boas sacadas no roteiro, Casal Improvável fornece duas horas de diversão
09:01 Charlize Theron e Seth Rogen vivem uma paixão fora da curva em comédia
09:00 Moro disse não poder confirmar veracidade
08:58 Após tensão, Guedes perde a Previdência para Maia
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018