Sábado, 23 de fevereiro de 2019 Edição nº 15144 23/01/2019  










* PÉRSIO OLIVEIRA LANDIMAnterior | Índice | Próxima

Agronegócio não é o vilão

O agronegócio merece total atenção do governo e não deveria ser tema de tanto tabu entre os brasileiros, vem do agro nosso alimento e a "vitamina" que nossa economia precisa. Números testificam tamanha importância do campo.

O Valor Bruto da Produção Agropecuária (VBP) encerrou o ano de 2018 em R$ 569,8 bilhões. Os valores da produção de algodão e de soja foram os maiores registrados na série iniciada em 1989. Esses resultados trouxeram importantes benefícios, especialmente àqueles estados onde predominam as lavouras desses produtos, como Mato Grosso, Mato Grosso do Sul, Goiás e Bahia.

Dados do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento toram claros a necessidade do país acreditar e tratar como grandes empresários os produtores, sendo eles protagonistas de um Brasil conhecido internacionalmente por alimentar o mundo. No cenário em que a população mundial só cresce é preciso valorizar os produtores dos alimentos.

Os produtos que deram maior sustentação ao VBP foram algodão, café e soja, embora cana-de-açúcar e milho também são destacados por expressiva participação no valor gerado.

De acordo com o IBGE (Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística), Municípios do agronegócio lideram crescimento do PIB (Produto Interno Bruto). Mais de 5 mil municípios mostram forte crescimento nas principais regiões agrícolas. Levantamento com base no valor nominal do PIB de 2016 revelou que 82% dos municípios brasileiros classificados como os maiores produtores do agro tiveram crescimento nominal superior à taxa anual do PIB do país, que foi de 4,4 % entre 2014 e 2016.

Quando isolados os 100 maiores produtores agrícolas, o crescimento médio foi de 9,81%, no período. Esses municípios respondem por 7,2% do PIB do país, e por 27,5% do Valor Bruto da Produção (VBP Lavouras).

Robustez do agro que contribui com o desenvolvimento econômico dos municípios, estados e nação. Portanto, é vital políticas públicas com mais apoio ao agronegócio e a célere desconstrução da imagem pejorativa de que o agro é o vilão.



* PÉRSIO OLIVEIRA LANDIM, advogado, especialista em Direito Agrário, especialista em Gestão do Agronegócio, presidente da 4ª Subseção da OAB – Diamantino (MT)

sanchesguidio@gmail.com



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:06 Frente da Agropecuária quer mudar idade mínima de trabalhador rural
19:42 Justiça suspende indicação de Maluf
18:08 Em Brasília, Mauro cobra retomada das obras da BR-163
17:59 Janaína e Russi dizem que governo apoiou vitória de Maluf
17:58 Com 13 votos, Guilherme Maluf é indicado ao TCE


17:57 MP recomenda anular escolha de Maluf
17:11 Adolescentes indígenas são flagrados com moto furtada
17:11 Vazamento de dados do INSS rende R$ 2 mi ao mês a bando
17:10 Pais fazem filho de “cabo de guerra” em shopping
17:10 Presa suspeita de tentativa de latrocínio contra idosos
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018