Quarta feira, 24 de abril de 2019 Edição nº 15144 23/01/2019  










Anterior | Índice | Próxima



Ressurreição

Condenado a mais de 100 anos por corrupção, o ex-secretário de Fazenda, Eder Moraes, aos poucos, se insere no meio político do Estado. Nos últimos tempos, virou atração de bate-papo em grupo de WhatsApp.



Estrela

A folha corrida de Eder, pelo jeito, não assusta, ao ponto de ser convidado a discutir, em audiência pública, na AL, ontem, a polêmica proposta de Mauro Mendes (DEM) de extinguir órgãos públicos, no contexto da calamidade financeira.



Maldade

Não surpreende a revolta de servidores com a presença de Eder no Legislativo. Segundo as más línguas, se a moda pega, logo estarão convidando o ex-presidente da AL, José Riva, e o ex-governador Silval Barbosa para discutir os problemas do Estado.



Sorte de Taques

Para o presidente da AL, Eduardo Botelho (DEM), o ex-governador Pedro Taques (PSDB) “teve sorte”, ao levantar dinheiro extra – entre os quais, do FEX - quando a crise fiscal já se instalava no Estado, entre 2015 e 2018.



Sorte de Mauro

Botelho se esqueceu de dizer que MM também tem “sorte”, já que vai receber dinheiro extra – provavelmente, em fevereiro -: cerca de R$ 500 milhões do FEX, que era para Temer ter liberado ainda no mês de dezembro.



Entrevista

Mauro Mendes foi o principal entrevistado da jornalista Aline Midlej, ontem, no telejornal matinal Globonews Em Ponto. A entrevista com o mato-grossense foi feita na redação do canal a cabo GloboNews, em São Paulo.



Calamidade

Durante 25 minutos, MM falou sobre a calamidade financeira do Estado de Mato Grosso e as medidas que vem adotando para enfrentar a crise. Entre elas, duas principais: enxugar os gastos e aumentar a arrecadação.



Agro

Durante a entrevista, o governador defendeu o agronegócio em Mato Grosso, que, segundo ele, pode dobrar a produção nos próximos 10 anos. E o que é extremamente importante: sem derrubar nenhuma árvore.



Contribuição

Questionado sobre a ideia do Governo Jair Bolsonaro (PSL), de cortar recursos do Sistema S (que inclui Sesi, Sesc, Senai e Senac e mais cinco entidades), Mendes – que já foi presidente da Fiemt – disse que o momento é de que todos devem contribuir.



Acordo

A reeleição de Eduardo Botelho à presidência da ALMT é dada como favas contadas em alguns setores da política. O acordo com Janaína Riva (MDB) - 1ª vice-presidente - e Max Russi (PSB) – 1º secretário - fortaleceria a chapa.



...............



A culpa do TCE

“(...) O problema de o Estado estar falido é simplesmente do TCE. Primeiramente, deveria ser mostrada a competência do órgão; depois, a folha de gasto que ele gera; e, por último, analisar suas benesses. Chegaremos à conclusão de que é um órgão falho, omisso e condizente com o descaso. E enquanto não houver concurso sério para o cargo de conselheiro, dentre outros, não vai mudar”. Do leitor Diego Freitas, em carta ao Diário.



...............



Deixe seu recado...

O deputado federal eleito Nelson Barbudo (PSL) foi a Brasília cobrar atenção do ministro Onyx Lorenzoni (Casa Civil). “Na campanha, me ligavam todos os dias. Depois da eleição, ninguém me atendeu mais”, disse Barbudo ao site O Antagonista.

Promessa

Segundo Barbudo, Lorenzoni garantiu que Bolsonaro não abandonará aliados no Congresso. O pesselista foi o deputado federal mais bem votado em MT – 126.249 votos - e um dos líderes nacionais em termos proporcionais – 8,52% dos votos válidos.

Pauta

Em um vídeo publicado na sua página do Facebook, a senadora eleita Selma Arruda deu a dica de que já tem uma questão para discutir no Senado: a situação das rodovias federais, que, segundo ela, é preocupante em MT.



Abandono

A ex-juíza considerou que o Estado está “jogado às traças” e que “nós vamos dar jeito nisso”. Ela também questionou o fato de não haver um posto da Polícia Rodoviária Federal (PRF), de Rondonópolis à divisa com Mato Grosso do Sul.



Missão difícil

Donatário do MDB em Mato Grosso, o deputado federal reeleito Carlos Bezerra tenta convencer o Planalto a manter a sua esposa, Teté Bezerra, no comando da Embratur. O mato-grossense não é aliado de Jair Bolsonaro.



Copa América

O coronel da reserva da Polícia Militar de Mato Grosso, Antônio Roberto de Moraes, foi anunciado como responsável pela Coordenação da Segurança da Copa América, que será disputada no Brasil, no mês de junho.



Cuiabano

O nome do militar cuiabano foi confirmado pela Conmebol, entidade que comanda o futebol na América do Sul, na última segunda-feira (21). Antônio Moraes foi chefe da Casa Militar, durante o Governo Silval Barbosa (ex-MDB).



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Quando vai ser recolhido ao xadrez este   -




21:11 Governadores formam pauta única para ser defendida no Congresso Nacional
21:05 Estado proíbe servidores de acumular licenças-prêmios
21:05 BOA DISSONANTE
21:04 Benefícios do manejo sustentável
21:03 As barcas “pêndulo” e “gasolina”


21:02 Previdência e pontos-chave
21:01 2ª Corrida da Câmara
21:00 Estratégia do confronto
20:59
20:58 Roberta Sá não brilha em álbum com canções inéditas de Gil
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018