Sábado, 23 de março de 2019 Edição nº 15118 12/12/2018  










NOVO GOVERNOAnterior | Índice | Próxima

Mauro admite escalonar salário em janeiro

Mauro Mendes entregou ontem a Pedro Taques o projeto de reforma administrativa e a reformulação do Fethab

DINALTE MIRANDA/DC
O governador eleito Mauro Mendes entrega proposta de reformulação do Fethab ao governador Pedro Taques
KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

O governador eleito Mauro Mendes (DEM) admite a possibilidade de vir a escalonar o pagamento dos servidores públicos em janeiro do próximo ano devido às dificuldades financeiras do Estado. O democrata acredita que irá receber o Estado sem recursos o suficientes para honrar com todos os compromissos do mês de dezembro.

“Se neste mês, grande parte dos recursos estão sendo usados para pagar despesas de novembro, muito provavelmente, com a lógica simples e matemática, no mês de janeiro não tem nenhuma receita extraordinária que possa nos dar a previsibilidade da mudança deste cenário”, argumentou.

Mendes afirma que os balancetes do Estado demonstram claramente a dificuldade da atual administração de honrar com a folha de pagamento. “Desde que me propus a estudar um pouco mais as contas públicas eu percebi, claramente, um desequilíbrio. Os números mostram e retratam isso. Esse atraso salarial é mais um passo nessa direção. Se nós não formos capazes de mudar isso, Mato Grosso, em breve, vai se transformam em um Rio de Janeiro, em Minas Gerais, que esta registrando dois três meses de salários atrasados, e com enormes prejuízos a população”, acrescentou.

Mendes afirmou que é justamente com o intuito de melhorar este cenário é que esta adotando uma série de medidas que visam a contenção de gastos e a elevação da arrecadação.

Na tarde desta terça-feira (11), o democrata entregou ao governador Pedro Taques (PSDB) os projetos que tratam sobre a reforma administrativa e a reformulação do Fethab.

“Nós vamos trabalhar fortemente para tomar as medidas de contenção de despesas. Todos esses cortes que nós estamos programando nas secretarias, de cargos comissionados, vai gerar uma economia, com os demais gastos coadjuvantes, de aproximadamente R$ 200 milhões. Isso é significativo, e vai contribuir para que nos busquemos o equilíbrio ainda em 2019”, completou.

Mendes frisou, entretanto, que os frutos das medidas que estão sendo adotadas por ele, deverão ser colhidos em médio prazo. Desta forma, pede a compreensão do funcionalismo público.

“As mudanças que serão possíveis deverão ser construídas a médio prazo, no mínimo seis meses. Então vai ser economia centavo por centavo, cada dinheiro economizado vai permitir ao longo do ano melhorar esta questão. O quanto vai melhor, vai depender muito da reação da economia, da arrecadação dos impostos e da resposta que essas medidas terão, principalmente no campo da elevação da receita”, enfatizou.

Neste mês, o governador Pedro Taques escalonou o pagamento dos servidores públicos em quatro vezes. Os aposentados e pensionistas, assim como aqueles que possuem remuneração de até R$ 6 mil, tiveram os salários creditados nesta segunda-feira (10).

Aqueles com subsidio entre R$ 6 mil e R$ 8 mil, por sua vez, deverão receber hoje (12). Já os que recebem de R$ 8 a R$ 10 mil, recebem na quinta-feira (13), enquanto os servidores que recebem acima de R$ 10 mil, por sua vez, terão os pagamentos compensados até 21 de dezembro.

No que tange ao pagamento dos 13° salários residuais dos ativos e comissionados e dos aniversariantes de novembro, o Executivo garante que serão pagos no dia 20.

FEX – Afim de melhorar a situação financeira do Estado nesta reta final de mandato, o governador Pedro Taques viaja para Brasília nesta quarta-feira (12). O gestor tucano vai em busca da liberação dos recursos oriundos do Auxílio Financeiro de Fomento às Exportações (FEX). No total, são R$ 400 milhões que Mato Grosso tem a receber referente a compensação da Lei Kandir.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:52 Múltiplas tragédias, uma causa!
17:42 Deputado de MT cobra urgência na análise do FEX
17:41 Wilson Santos e Ricardo Saad disputam comando do PSDB
17:41 Botelho acredita que pedido de empréstimo do governo passará na AL
17:41 Mauro acerta com bancada federal destino de recursos


17:13 Cuiabá rumo aos 300 anos
17:12 Não se pode negar a diferença
17:12 Twitter e imprensa
17:11 Temer na cadeia
17:09
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018