Segunda feira, 10 de dezembro de 2018 Edição nº 15114 06/12/2018  










SELEÇÃOAnterior | Índice | Próxima

Bruno Henrique passa a ser observado

MARCOS GUEDES
Da Folhapress – São Paulo

Contratado pelo Palmeiras em 2017, Bruno Henrique não chegou a cair nas graças dos torcedores em seu primeiro ano no clube. Ao contrário, ficou marcado por perder pênalti no jogo da eliminação na Taça Libertadores, contra o Barcelona (EQU), e por cometer pênalti em derrota em casa para o rival Corinthians, que seria campeão brasileiro.

A segunda temporada foi bem diferente. Acabou com o volante, faixa de capitão no braço, levantando a taça do Campeonato Brasileiro.

"Fico muito contente por estar vivendo este momento fantástico na minha carreira. Pude ganhar um título com o Palmeiras e dar alegria ao torcedor depois de um ano tão intenso", afirmou.

O paranaense de 29 anos não foi coadjuvante nessa conquista. Peça fundamental no meio-campo verde, entrou nas principais seleções da competição e passou sonhar com outra seleção.

Tite, que comanda o time do Brasil e conhece o atleta dos tempos de Corinthians, já lhe fez elogios. Edu Gaspar, dirigente da CBF, também o citou em uma lista de jogadores que merecem ser vistos com atenção.

"A seleção é uma consequência do trabalho que você faz no clube. O meu foco é, 100%, o Palmeiras. Tenho que fazer meu trabalho dentro do Palmeiras, porque isso pode dar a condição de ir à seleção, o que me deixaria muito contente", disse.

ARTILHEIRO

A participação de Bruno Henrique não se resumiu à marcação e aos passes, principais atribuições do volante. Ele foi ao ataque e marcou nove gols na campanha do título nacional - só Willian, com dez caixas guardadas, superou-o no time verde.

Em toda a temporada, o atleta esteve em campo 66 vezes e balançou a rede em 16 oportunidades. Números que o ajudam na tentativa de iniciar, já perto dos 30 anos, uma trajetória na seleção verde-amarela.

"Tive oportunidade de trabalhar bastante e aprimorar minha técnica para finalizar de fora da área. Tive a felicidade de acertar alguns chutes, fazer alguns gols e ajudar o Palmeiras", comemorou o meio-campista.

BORJA

Autor de dez gols com a camisa do Palmeiras em 2017, Borja dobrou a marca em 2018. O colombiano colocou 20 bolas na rede neste ano e espera ao menos manter o ritmo do crescimento na próxima temporada.

"Podem ser 30, 35 gols. Quero continuar trabalhando e fazer mais", afirmou o atacante, que completará 26 anos em janeiro.

Ele melhorou, mas sabe que ainda não justificou o investimento do Palmeiras em seu futebol. Foi pago o equivalente a R$ 33 milhões para tirá-lo do Nacional de Medellín, e o camisa 9 quer apresentar um futebol proporcional.

"Falei com a diretoria, eles confiam em mim. Quero fazer mais, porque fizeram um esforço para me trazer. Agora, tenho que lutar a cada dia para conseguir mais coisas aqui", repetiu.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:39 Tribunal de Contas manda dois deputados pagarem R$ 16,6 milhões
18:37 “Tem muita coisa errada na saúde”, diz Mauro Mendes
18:35 TCE suspende contratação da empresa de iluminação pública
18:31 MP pede reprovação das contas de Nelson Barbudo
18:30 90% do funcionalismo recebeu ontem


18:20 Além do Mais Médicos
18:20 Luiz Possas assume Saúdede Cuiabá
18:20 BOA DISSONANTE
18:19 Clássico vovô
18:19 Nem tanto ao mar nem tanto ao céu
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018