Sexta feira, 16 de novembro de 2018 Edição nº 15056 06/09/2018  










LEITORAnterior | Índice | Próxima

Eduardo Mahon conversa com o intelectual João Antônio Neto

Parabéns pela entrevista, balanço histórico da Academia Matogrossense de Letras, mas não citou movimento literária feminino, liderada por Maria Muller, segundo esse movimento foi recolhido nacionalmente. Rubens de Mendonça e Lenine Póvoas, não foram citados. Conheço escritor e poeta, Antônio Neto, frequentava feira da Boa Morte, com simplicidade, e dava atenção todos, poeta do povo. Chegar Centenário, é coroamento pra poucos, lúcido e jovial, aplauso sem parar!

HÉLIO AUGUSTO GOMES, Ambientalista, Cuiabá/MT

fiscaldolixo@gmail.com



Mauro Savi protocola candidatura

Mais é uma pouca vergonha mesmo...só no Brasil e aposto que o sem caráter ganha, pois tem grana para comprar os votos.

LUZINETH MARTINS DE AMORIM, Func.Pública, Cuiabá/MT

luzinha47@hotmail.com

***



Cada povo tem o governante que merece. Não me espanto se este cidadão se eleger.

ROBERTO MARTINS, aposentado, Cuiabá/MT

***



Mato Grosso não é o nordeste não deputado, aqui o povo sabe votar e vc vai levar uma taca nas urnas, e vai voltar pra cadeia.

RAUL RAMOS NUNES, Cuiabá/MT



Todos contra Taques

Que gente idiota, combinam entre eles e se esquecem de combinar com o povo, vocês todos vão ser pegos de surpresa, não vão existir somente esse mauro Mendes e Fagundes tem outros candidatos da Rede Sustentabilidade que estão costurando por fora e quando vocês assustarem já era estará no segundo turno.

MARIA ALICE AGUIAR, Cuiabá/MT



Botelho corta salário de faltosos

Parabéns ao presidente da "Casa do Povo", pela sua implacabilidade quanto aos "faltosos" nas respectivas sessões. Ora bolas!!!! Os seus membros, já tem a "propalada fama" de trabalhar apenas três dias por semana. E agora mais essa? Vale lembrar, que "um" deles, se encontra "preso", pois não caberia o recebimento do salário. Pode até ser legal, mas de uma tremenda imoralidade......... Fim de papo,

ARMINDO DE FIGUEIREDO FILHO FIGUEIREDO, Brasília/DF

armindo.figueiredo@gmail.com



“Medo da violência não pode definir o voto em outubro”

É comum que no Brasil as ovelhas acreditem que os lobos só são lobos porque possuem garras e dentes afiados, pois sem esses instrumentos o ataque seria impossibilitado de ocorrer. Porém, os lobos são lobos porque são carnívoros e predadores, enquanto as ovelhas são ovelhas por serem herbívoras e presas dos carnívoros. Ipso facto! Infelizmente, aqui está em vigor o gramscismo e para que ele prevaleça, desarmar as ovelhas deve estar sempre na primeira ordem. Armas são e sempre serão a alternativa das ovelhas para se manter em pé de igualdade aos lobos, em defesa e, sim, em ataque, caso os lobos queiram agir, e é a única forma de manter os lobos em seus covis. Geralmente essas "ispicialistas" moram em condomínios fechados, possuem segurança privada ou pública, ou ainda vivem fora do Brasil, geralmente nos EUA ou Europa, onde os lobos são tratados como lobos e as ovelhas dão a eles o destino devido, que é ficar perpetuamente na cadeia, por terem ousado atacar uma ovelha. Aqui só os tolos ainda acreditam que os lobos vão ter pena das ovelhas desarmadas e irão conter seus instintos. Stultus homines.

FLÁVIO BENEDITO DE SOUZA, Funcionário Público, Cuiabá/MT

flaviosouzab@hotmail.com



600 seguirão para cidades gaúchas

Qualquer movimento que trate de transferência de imigrantes, foragidos, ou qualquer outra caracterização, deve ser precedido de consulta aos habitantes das cidades onde se pretende aloja-los. nota-se que a interferência na vida das cidades causa transtornos que poderão ser fatais. Lembramos o que aconteceu em Roraima, sendo antecipadamente previsto pela administração daquele estado, pois não foram atendidos o pleitos da governadora local. essa estória de salvar foragidos não vem tendo sucesso na Europa. Constantemente crimes acontecem pois não ha seleção nos grupos de refugiados. Mercenários, meliantes, agitadores são descartados pelos países de origem. Consta que a Venezuela abriu suas prisões com objetivo de reduzir seus custos e de se ver livres dos seus criminosos. Está na mesa do presidente da república lei que trata da imigração, ou seja abrir a fronteiras para todos os povos. Será que a população brasileira aceita isso?

ACIR CARLOS OCHOVE, Cuiabá/MT

ochove@terra.com.br



Taques diz ter apoio dos mais humildes

Todo político é igual, agora ele está vendo gente simples. Me engana que eu gosto

GILMAR RAMOS, Cuiabá/MT



Malheiros tem marca da ineficiência

Cada um tem o político que merece pois são eleitos pela população então não adianta reclamar se votaram nesse tipo de gente. Sou a favor que vereador não tenha salario.

LUCIANO FIGUEIREDO, Cuiabá/MT



Tragédia

Cumprimentos ao editor, analise crítica do que resultou de 30 anos de descaso com o que chamamos de patrimônio nacional. Como exemplo do que aconteceu, providências devem ser tomadas com outros bens, transferindo a administração a outro tipo entidade jurídica que se preocupe com valores nacionais, acima de tudo. Como está todos sabemos que não funciona. Evidências não mentem, o abandono gerou essa tragédia no Museu Nacional do Rio De Janeiro, administrado pela Universidade Federal do Rio De Janeiro.

PAULO BITENCURT, Cuiabá/MT



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:25 Reinaldo reclama contra arbitragem
18:24 Paquetá supera desconfiança na base do Flamengo
18:24 Cuiabá pega o Botafogo-SP por uma vaga na final do campeonato da Série C
18:24 Brasil inicia testes para Copa de 2022
18:23 Liga das Nações dá chance a nanicos


18:23 Mundial equipara premiação entre homens e mulheres
18:22 Galo renova com Ricardo Oliveira
18:22 Técnico reconhece erros e absorve derrota após 9 jogos
18:21 Jair Ventura é anunciado pelo Corinthians
18:20 Um governador em sintonia com o povo
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018