Quarta feira, 14 de novembro de 2018 Edição nº 15053 01/09/2018  










PROPAGANDA ELEITORALAnterior | Índice | Próxima

Taques pede reflexão, adversários atacam

No primeiro programa, Taques defende sai gestão; Mauro e Wellington criticam atual governo e prometem mudança

DINALTE MIRANDA/DC
Ontem foi o primeiro dia da propaganda eleitoral gratuita no rádio e televisão
KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

A propaganda eleitoral aos candidatos ao Governo do Estado começou nesta sexta-feira (31). Enquanto o governador Pedro Taques (PSDB) utilizou o tempo para defender a sua gestão à frente do Palácio Paiaguás, o ex-prefeito Mauro Mendes (DEM) e o senador Wellington Fagundes (PR) proferiram críticas à atual administração e prometeram mudanças caso sejam eleitos.

Com pouco tempo no horário eleitoral gratuito, os demais postulantes ao Governo do Estado, o ex-superintendente da Polícia Rodoviária Federal Arthur Nogueira (REDE) e Moisés Franz (PSOL), utilizaram os poucos segundos que tinham para se apresentarem a população mato-grossense.

O candidato pelo PSOL foi quem abriu o horário eleitoral. Com apenas 28 segundos, Moisés Franz se apresentou e disse que irá lutar pela renovação política, pela transparência e contra corrupção.

Em seguida, Pedro Taques abriu o seu programa eleitoral admitindo que a sua administração sofreu desgaste. “Eu não quero pedir o seu voto, quero te pedir uma chance, uma oportunidade para falarmos olho no olho sobre tudo que fiemos. Eu sei que passamos por um desgaste muito grande, mas quero que saibam que continuo sendo o mesmo Pedro, verdadeiro, honesto, mas muito mais experiente”, disse.

O gestor tucano ainda pediu para que a população levasse em consideração as condições que ele assumiu o governo em 2014, e pediu que analisem os demais candidatos e seus apoiadores.

“Peço que você reflita como assumimos o nosso Estado: arrasado por uma quadrilha que roubou e deixou dividas altíssimas. Atravessamos a pior crise que o Brasil já viu, por isso, peço: não se deixe levar pela conversa fácil de oportunistas, analise a ficha de cada candidato e do grupo que está junto com eles”, alfinetou.

Apesar disso, Taques ainda garantiu que pode fazer muito por Mato Grosso. “Eu sei que ainda falta muito, mas acredite, muito já foi feito. Agora que a tempestade está passando, e nosso horizonte clareou, podemos continuar sem parar, sem olha para trás, juntos para seguir em frente”, finalizou.

O programa eleitoral do governador teve duração de 2 minutos e 9 segundos. Após ele, foi a vez de Mauro Mendes se apresentar a população em 2 minutos e 52 segundos.

O candidato democrata começou contando a sua trajetória de vida e lembrando da sua passagem pela Prefeitura de Cuiabá. “Fui prefeito de Cuiabá por quatro anos. Cumpri integralmente o meu mandato e entreguei a minha gestão com mais de 80% de aprovação”, frisou.

Após isso, endureceu o tom afirmando que “nos últimos oito anos Mato Grosso sofreu muito com gestões incompetentes e corruptas”, fazendo referência ao governador Pedro Taques e ao seu antecessor Silval Barbosa.

“Elas afundaram o nosso estado em dividas e mancharam a nossa história com escândalo de corrupção”, enfatizou o ex-prefeito.

Para dar ênfase ao seu discurso, Mendes apresenta o candidatou o candidato a vice em sua coligação, o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT).

O democrata foi, inclusive, o único candidato que teve o vice participando do primeiro programa eleitoral.

“Ninguém governa sozinho, nós iremos montar uma grande equipe. Foi por isso que nós escolhemos Otaviano Pivetta como nosso vice-governador. O trabalho de Pivetta deu a Lucas um dos melhores índices na educação e na saúde e a condição de melhor cidade de Mato Grosso para se viver” destacou o candidato a governador.

“Temos uma obrigação com Mato Grosso. Precisamos resgatar o Estado que nos últimos oito anos tem sido muito mal administrado. Temos que fazer a mudança, e a mudança é pra valer”, completou Pivetta.

Com apenas alguns segundos reservados no horário eleitoral gratuito, Arthur Nogueira apenas pediu para que o eleitorado dê a chance de conhece-lo. “Sou Arthur Nogueira, policial rodoviário. Convido você que não me conhece a conhecer um pouco da minha história”, completou.

Já Wellington Fagundes, que possui o maior tempo de propaganda, 3 minutos e 29 segundos, iniciou o seu programa eleitoral com diversos depoimentos de eleitores criticando a atual administração.

“A população se sente abandonada, quero cuidar das pessoas. Ter um olhar humano. Respeitar as pessoas. Às vezes, a mais simples pode te dar um caminho, uma solução”, acrescentou o republicano.

A trajetória do republicano também foi abordada. O programa citou seu nascimento no município de Rondonópolis, numa família de seis irmãos. Lembrou que seu pai veio a pé da Bahia para Mato Grosso.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:26 Jayme lembra que criou Unemat e Maggi pede voto para Sachetti
19:26 Selma não dividirá mais palanque com Taques e Nilson
19:26 Taques pede reflexão, adversários atacam
19:25 Moisés Franz questiona o agronegócio
19:24 Metade da verba depende de aprovação do Congresso


19:24 BOA DISSONANTE
19:23 PIB cresce 0,2%; indústria cai 0,6%
19:23 Temer recua e adia reajuste para 2020
19:22 'Bolsonaro tem o hábito de agredir e ofender mulheres'
19:22 TSE rejeita contestação e aprova registro
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018