Sábado, 17 de novembro de 2018 Edição nº 15053 01/09/2018  










ATLETISMO MUNDIALAnterior | Índice | Próxima

Queniano corre só com um pé de tênis e vence a prova

DEMÉTRIO VECCHIOLI
Da Uol/Folhapress – São Paulo

Conseslus Kipruto foi o grande nome da etapa de Zurique (Suíça) da Liga Diamante, na quinta-feira, principal competição da temporada 2018 no atletismo. Não exatamente por ter vencido os 3.000 m com obstáculos, mas pela forma que o fez: correndo a última volta com apenas um pé de tênis.

Com uma premiação de US$ 50 mil por prova, a etapa de Zurique reuniu apenas os melhores da temporada. No caso dos 3.000m com obstáculos, 14 atleta, sendo oito quenianos. Kipruto estava preso em um bolo de atletas quando um rival pisou em seu pé direito - algo comum em provas assim, em que todos utilizam a mesma raia - e arrancou seu tênis.

Mesmo assim, Kipruto não abriu mão da estratégia. Depois de correr a prova inteira entre o segundo e o quarto lugares, acelerou na ultima volta para alcançar o marroquino Soufiane El Bakkali, líder do ranking mundial. Tirou meio segundo de desvantagem nos últimos 300 metros e ganhou a prova de forma impressionante. Na temporada, ele também já havia vencido em Roma (Itália) e em Birmingham (Inglaterra)

DARLAN

Cada etapa da Diamond League só consegue realizar metade das provas existentes no calendário internacional do atletismo. Assim, o Finals também foi dividido em dois. Na quinta, metade das provas aconteceu em Zurique. Ontem, a outra metade em Bruxelas, na Bélgica. Cada uma delas distribuiu US$ 50 mil ao campeão.

No primeiro dia, o Brasil só participou no arremesso de peso. Darlan Romani fez excelente prova e ficou em quarto lugar, com 21,94 m, a um centímetro do recorde sul-americano, dele mesmo. Com essa marca, ele seria no mínimo prata em qualquer Mundial e Olimpíada da história.

O problema é que os três primeiros fizeram uma prova ainda melhor. Tomas Walsh, da Nova Zelândia, fez a melhor marca da história da Liga Diamante: 22,60 m. Ele foi seguido de dois norte-americanos: Darrell Hill (22,40 m) e Ryan Crouser (22,18 m).

Em Bruxelas, na sexta, competiram Thiago Braz (salto com vara) e Andressa Oliveira de Morais (lançamento do disco). Almir Junior teria direito a participar no salto triplo, mas já deu por encerrada a temporada, depois de se recuperar de uma lesão no pé. Quer descansar para brigar por título mundial no ano que vem.

NOVO BOLT

Noah Lyles. O norte-americano de apenas 21 anos venceu os 200 m com o tempo de 19s67, ficando a dois centésimos do seu recorde pessoal. Foi a quarta vez no ano que ele correu abaixo de 19s7, igualando o desempenho de Usain Bolt no seu auge na prova, em 2009. O jamaicano, por sua vez, só foi baixar de 19s7 nos 200 m perto de completar 22 anos. Como comparação, Justin Gatlin só fez isso duas vezes na carreira.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:26 Jayme lembra que criou Unemat e Maggi pede voto para Sachetti
19:26 Selma não dividirá mais palanque com Taques e Nilson
19:26 Taques pede reflexão, adversários atacam
19:25 Moisés Franz questiona o agronegócio
19:24 Metade da verba depende de aprovação do Congresso


19:24 BOA DISSONANTE
19:23 PIB cresce 0,2%; indústria cai 0,6%
19:23 Temer recua e adia reajuste para 2020
19:22 'Bolsonaro tem o hábito de agredir e ofender mulheres'
19:22 TSE rejeita contestação e aprova registro
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018