Terça feira, 15 de outubro de 2019 Edição nº 15051 30/08/2018  










JUSTIÇAAnterior | Índice | Próxima

TSE rejeita novo recurso de Lula

LETÍCIA CASADO
Da Folhapress – Brasília

Por 6 votos a 1 os ministros do TSE (Tribunal Superior Eleitoral) negaram na terça-feira um pedido da defesa de Lula (PT) para que as redes de televisão façam a cobertura diária de seus atos de campanha à Presidência da República.

O petista está preso em Curitiba desde abril e, por isso, não faz atos de campanha.

O pedido para as TVs fazerem a cobertura diária de campanha já havia sido negado pelo ministro Sergio Banhos, relator do caso.

Durante o julgamento, ele destacou que a lei não garante tratamento isonômico dos veículos de imprensa a todos os candidatos, mas sim, que cabe às empresas decidir o que é interesse jornalístico.

Banhos ressaltou que os riscos foram assumidos pelo próprio PT ao lançar Lula candidato nas atuais condições. "Ele não tem agenda para ser divulgada", afirmou.

Os ministros Luís Roberto Barroso, Edson Fachin, Jorge Mussi, Tarcísio Vieira e Rosa Weber tiveram entendimentos semelhantes aos de Banhos.

Eles divergiram em alguns pontos, mas, basicamente, concordaram que Lula não tem agenda de campanha que deve ser acompanhada pela imprensa.

Também destacaram que cabe aos veículos de comunicação decidir o que é notícia e que o Judiciário não deve interferir na liberdade de imprensa, desde que não haja tratamento privilegiado.

Já o ministro Napoleão Nunes Maia divergiu dos colegas. Para ele, que participa de sua última sessão no TSE, a mídia está segregando o petista.

Em 15 de agosto o PT pediu o registro da candidatura de Lula à Presidência. O caso deve ser analisado pelo TSE na próxima semana. Nos bastidores do tribunal, a expectativa é que o pedido seja indeferido porque o petista foi condenado em segunda instância -condição barrada pela Lei da Ficha Limpa.

DISTORÇÃO

Um comentário minimizando a necessidade de punição a menores de 18 anos que cometam assassinatos e defendendo que adolescentes de 16 e 17 anos não sejam responsabilizados por crimes está sendo atribuído, nas redes sociais, ao candidato do PT à Presidência, Luiz Inácio Lula da Silva.

Segundo o falso viral, Lula teria dito: "Sou totalmente contra prender menor que mata pessoas. Devemos coloca-lo na escola para reeduca-lo. Quem morreu, morreu não volta mais. Agora deixar preso um muleque só porque ele matou, sou contra".

Na montagem enganosa, há também uma foto de Lula e a logomarca da revista Época, como se a declaração fizesse parte de algum conteúdo da publicação -o que também é mentira. O texto ainda tem erros de ortografia, acentuação e pontuação.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:22 BOA DISSONANTE
18:21 31 - sexta-feira Mauro lidera para governo e Jayme senado
18:20 Feminicídio: um problema de todos
18:20 Tabelamento do frete
18:19 O direito e o agronegócio


18:19 Pais desinteressados
18:19 Desafio a democracia
18:17
18:16 Incisivo, D2 revela sofisticação sem truculência
18:16 Paul McCartney de volta com "Egypt Station"
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018