Terça feira, 20 de agosto de 2019 Edição nº 15045 22/08/2018  










DELAÇÃOAnterior | Índice | Próxima

‘Folha’ confirma homologação de delação de Alan Malouf

Da Reportagem

O jornal Folha de S. Paulo publicou matéria na edição ontem confirmando que o empresário Alan Malouf teve a sua delação premiada homologada pelo Supremo Tribunal Federal (STF). O despacho foi dado pelo ministro Marco Aurélio. O acordo, firmado junto a Procuradoria Geral da República, revela um esquema de caixa dois durante a campanha de 2014, quando Pedro Taques (PSDB) foi eleito governador do Estado.

Na delação, o empresário afirma que arrecadou cerca de R$ 10 milhões em recursos contabilizados para serem aplicados na campanha do gestor tucano.

De acordo com ele, quem gerenciava a conta onde era depositado o dinheiro oriundo de caixa 2 era Julio Modesto, que após a eleição respondeu por várias secretarias na gestão de Taques.

Malouf ainda garante que o atual governador tinha total conhecimento do esquema. Segundo ele, foram realizadas várias reuniões na própria residência de Taques para tratar sobre o assunto.

O empresário foi condenado a 11 anos de prisão por integrar uma organização criminosa que desviou verba da Secretaria Estadual de Educação (Seduc) entre 2015 e 2016. As fraudes são investigadas na Operação Rêmora. Malouf chegou a ser preso em dezembro do ano passado, mas solto alguns dias depois.

Além dele, outras 22 pessoas também foram denunciadas por envolvimento no esquema. Conforme o Ministério Público Estadual, os membros da organização se beneficiavam diretamente com os valores "lucrados" por meio de negociações ilícitas com empresários da construção civil, que pagavam propina para serem favorecidos e terem informações privilegiadas sobre processos licitatórios da Seduc. O esquema funcionou durante a gestão do ex-secretário Permínio Pinto.

Citado por Malouf, o governador garante que todos recursos arrecadados em sua gestão foram declarados à Justiça Eleitoral, e ainda frisa que o empresário não era o responsável pelo financeiro de sua campanha.

“Isso não é fato. Que eu fiz reuniões com Alan é fato, conversei com ele, mas não sei o número de reuniões. Ele ajudou na campanha, todo mundo sabe, mas ele não era o financeiro da campanha. Ele apresentou alguns empresários que a contribuição foi dentro da legalidade. A respeito de campanha eleitoral está tudo definido na justiça eleitoral”, disse ontem Taques.

Diante disso, Taques afirma estar tranquilo e não acredita que isso irá refletir em sua campanha à reeleição. “Em absoluto, porque o cidadão me conhece, sabe o que eu fiz. Tudo que foi arrecadado foi declarado e eu não tenho absolutamente nada a ver com a questão da Seduc”, finalizou.

Para o gestor tucano, isso, inclusive, pode ser positivo para ele. “Primeiro que eu não sei se é fato isso ainda. Agora, se for fato, é bom para que nós possamos definir quem fez coisa errada, e quem não fez coisa errada. Então, estou absolutamente tranquilo, não tem nenhuma novidade que nós não sabíamos que ele já tinha dito. Então, é bom que isso venha a luz para acabar com essa dúvida logo”, disse o chefe do Executivo Estadual durante vistoria em obras na manhã desta terça-feira (21).



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:28 Amazon inclui lojas de moda e esportes no Brasil
19:28 Confira como conseguir a aposentadoria integral
19:28 Empresários mato-grossenses começam recuperar a confiança
19:27 Para fugir da tabela do frete grandes empresas planejam ter frota própria
19:27 Milho e Mato Grosso podem ter perdas, prevê Anec


19:26 BOA DISSONANTE
19:26 Quando o crime compensa
19:25 Proibição do Glifosato
19:24 O debate, o voto e a rua
19:24 Fotografias ofensivas
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018