Segunda feira, 10 de dezembro de 2018 Edição nº 15037 10/08/2018  










SAFRA MT 2017/18Anterior | Índice | Próxima

Conab reduz pelo 2º mês seguido projeção

Levantamento apresentado ontem mostrou pequena variação negativa entre as estimativas de julho/junho

ARQUIVO
Mesmo com a previsão de redução da safra, devido a queda na safrinha do milho, Mato Grosso registrará sua segunda maior safra da história
MARIANNA PERES
Da Reportagem

A Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) fez novo corte na estimativa de produção de Mato Grosso. A redução é a segunda sequencial, mas ainda assim, o volume atualizado em 69,64 milhões de toneladas vai se consolidando como o segundo maior da história do Estado. Na comparação com a safra recorde do ano passado, 61,98 milhões de toneladas, as perdas anuais ficam em 0,6%.

O milho safrinha continua puxando para baixo os números de Mato Grosso, já que a soja com colheita encerrada em abril consolidou produção recorde de 32,30 milhões de toneladas (t), e o algodão vem mantendo firmes as expectativas de produção histórica de pluma.

Com dados do 11º Levantamento da Conab, o penúltimo da safra 2017/18, Mato Grosso segue liderando pelo segundo ano consecutivo a oferta nacional, e sozinho, produzirá 27% das mais de 228 milhões de toneladas estimadas nessa atualização para a safra brasileira.

Entre os grandes produtores de grãos e fibras do Brasil, todos apresentam estimativas inferiores ao que foi consolidado na safra 2016/17. Além de Mato Grosso, seguem na segunda e na terceira posição do ranking nacional de produção, o Paraná com projeção de 35 milhões t, 14% menor que no ciclo passado, e o Rio Grande do Sul que chega a 32,87 milhões t, queda anual de 7,4%.

Mato Grosso consolida nesse levantamento área plantada 1,3% superior à anterior, passando de 15,11 milhões de hectares para 15,31 milhões em 2018. A produtividade encolheu 1,8%, de 4,10 mil quilos por hectares para 4,02 mil quilos.

Entre as principais culturas – soja, algodão e milho – a de maior destaque em 2017/18 segue sendo o algodão, cuja área plantada, produção e produtividade apresentam significativo avanço anual. A área plantada da fibra passou de 627,8 mil ha para 777,8 mil ha (+23,9%), a produtividade da pluma de 1.611 kg/ha para 1.653 kg/ha (+2,6%) e a produção de 1,01 milhão t para 1,28 milhão, ganho de 27,1%.

Conforme a Conab, em Mato Grosso, as lavouras de algodão se encontram com ciclo vegetativo completo e já acumulam colheita de 15% da área estadual (final de julho). Os trabalhos estão defasados em relação à safra passada devido tanto ao atraso do plantio quanto às baixas temperaturas registradas no período noturno nas regiões produtoras, nas últimas semanas.

A expectativa é de intensificação dos trabalhos em agosto. A produtividade média apresenta excelente resultado neste ciclo, de 4.132 kg/ha, elevação de 2,6% em relação aos 4.027 kg/ha obtidos na temporada passada. A qualidade da pluma tem sido considerada excelente.

Estima-se que cerca de 80% da produção estadual já esteja comercializada, ao passo que a negociação futura já atinge 33% da produção em 2018/19.

Em Mato Grosso, o milho segunda safra se encontra em fase final de colheita, com aproximadamente 80% da área colhida até o fechamento de julho. O clima favoreceu o desenvolvimento da cultura e a produtividade média é estimada em 5.860 kg/ha, rendimento bastante satisfatório, ainda que 5,7% inferior à marca obtida em 2016/2017, de 6.212 kg/ha, que representa o recorde estadual. Fatores como, a semeadura de parcela da safra fora da janela ideal e o emprego de menor tecnologia em alguns casos, que teriam potencial de reduzir a produtividade média, não impactaram tanto nos números, pelo fato de a distribuição das chuvas ter ocorrido de forma satisfatória nos momentos de maior demanda hídrica da cultura, mitigando assim os efeitos do atraso do plantio. Desta forma, a produção total de Mato Grosso é estimada em 26,20 milhões t, 8,4% inferior as 28,61 milhões t obtidas no último ciclo. Em relação à área, há redução anual de 2,9%, com a superfície passado de 4,60 milhões ha para 4,47 milhões.

Estima-se que cerca de 71,5% da safra estadual de milho esteja comercializada. Quanto à safra 2018/2019, calcula-se que 14% da produção já tenha sido objeto de contratos.

O rendimento médio das lavouras de soja foi recorde, atingindo 3.394 kg/ha, 3,7% maior do que os registrados em 2016/17, resultando também em produção recorde de 32,30 milhões t, 5,9% acima do volume do ciclo 2016/17. O resultado foi impulsionado pela semeadura num ótimo momento do calendário agrícola, pelo clima bastante favorável e também pelas melhorias no pacote tecnológico utilizado. A área plantada cresceu 2,1%, saindo de 9,32 milhões ha para 9,51 milhões.

BRASIL - O 11º Levantamento confirma que, com a colheita da segunda safra avançada e da terceira safra iniciando-se, além da finalização do plantio das culturas de inverno, a estimativa de produção é de 228,6 milhões de toneladas. Isso representa 50,7 mil t a mais que no levantamento passado, divulgado em julho, e mantém esta safra como a segunda maior da série histórica.

A soja e o milho, que possuem os maiores volumes de produção do país, devem ter produção de 119 e 82,2 milhões de toneladas, respectivamente. Do total da produção de milho, 26,8 milhões de t deverão ser colhidas na primeira safra e 55,4 milhões de t na segunda safra. Destaca-se, também, para a safra atual, a estimativa de aumento da produção de algodão em pluma, estimada em 1,98 milhão de t, o que representa um aumento de 29,4% em relação à safra passada e do feijão segunda safra, estimada em 1,27 milhão de t, com uma elevação de 5,6%.

A área semeada está estimada em 61,7 milhões de hectares e confirma mais uma vez a maior área semeada no país. O incremento estimado é de 1,3% ou 819,7 mil hectares em relação à safra passada. O incremento só não foi maior devido à redução na área do milho primeira e segunda safras. Em contrapartida, a soja teve um expressivo aumento da área semeada, saindo de 33,9 para 35,2 milhões de hectares na safra atual, um ganho absoluto de 1,24 milhão de hectares, o maior entre todas as culturas avaliadas.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:45 Neurilan Fraga é reeleito para comandar a AMM
18:45 Seis advogados disputam vaga de juiz titular do TRE
18:45 DEM se reúne com Mauro Mendes na próxima semana
18:44 Taques regulamenta mudanças no Prodeic
18:42 Governo define escalonamento até segunda-feira


18:14 Festa da literatura mato-grossense
17:52 MP pede reprovação das contas da deputada Janaína
17:52 BOA DISSONANTE
17:51 Juízes e delegados globalizados
17:50 Desserviço
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018