Quinta feira, 18 de abril de 2019 Edição nº 15032 03/08/2018  










MAURO SAVIAnterior | Índice | Próxima

DEM não dá garantia de candidatura para deputado preso

Da Reportagem

Apesar de já ter formalizado a pré-candidato a reeleição do deputado estadual Mauro Savi (DEM), o Democratas (DEM) não garante a participação do mesmo no pleito deste ano. O deputado federal Fábio Garcia, presidente do partido em Mato Grosso, afirma que a Executiva da legenda irá se reunir para deliberar sobre o assunto.

“Nós recebemos uma formalização de que ele pretende a inclusão de seu nome como pré-candidato pelo Democratas, mas como eu já havia dito, essa é uma deliberação que cabe a Executiva do partido. A Executiva irá se reunir antes da convenção para deliberar quais candidatos comporão a lista de pré-candidatos a ser submetida a convenção partidária. Não há nenhuma garantia de candidatura ao deputado estadual Mauro Savi”, explicou.

De acordo com a liderança democrata, os membros do diretório irão fazer uma análise específica do caso do parlamentar, tendo em vista que ele se encontra preso no Centro de Custódia de Cuiabá (CCC) há cerca de três meses.

“Nós vamos analisar todos os parâmetros desta questão. Então vamos esperar a reunião da Executiva que irá acontecer até sexta, já que nossa convenção é no sábado”, completou.

Mauro Savi está detido desde o dia 9 de maio, após deflagração da segunda fase da Operação Bererê, denominada Bônus. Ele é apontado como um dos líderes do esquema que desviou mais de R$ 30 milhões dos cofres públicos por meio de fraude em um contrato firmado entre o Departamento Estadual de Trânsito (Detran) e a EIG Mercados Ltda.

Além dele, também estão presos por envolvimento no mesmo esquema o ex-secretário da Casa Civil, Paulo Taques, o advogado Pedro Jorge Taques, além dos empresários Roque Anildo Reinheimer e Claudemir Pereira dos Santos, o “Grilo”.

A sua possível candidatura à reeleição servirá para embasar mais um pedido de liberdade que será feito pela defesa do deputado junto ao Supremo Tribunal Federal (STF). Isto porque, como não possui nenhuma condenação, o parlamentar não deve encontrar dificuldades em ter seu registro de candidatura aprovado pelo Tribunal Regional Eleitoral (TRE).

Neste sentido, ele não deve ter impedimentos para participar do pleito de outubro, e fazer sua campanha eleitoral caso tenha seu nome homologado na convenção partidária que acontece na manhã deste sábado (04).

Diante disso, será solicitada a soltura do deputado para que possa fazer campanha em equilíbrio eleitoral com os demais postulantes a uma vaga na Assembleia Legislativa.

O juiz eleitoral Paulo Sodre explica que o parlamentar não tem qualquer impedimento. “A Constituição Federal garante que todo e qualquer cidadão tem o direito de se dirigir aos poderes do judiciário. Neste caso, a regra é muito clara, até que o tribunal competente diga se ele e elegível ou inegável ele tem o direito de peticionar”, explica.

Savi já teve seis pedidos de liberdade negados nas mais diversas instâncias. A última negativa veio do ministro Humberto Martins, do Superior Tribunal de Justiça (STJ), na última terça-feira (31). (KA)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:32 Cassação de Selma agita bastidores da política
19:31 Páscoa, a festa da ressurreição
19:31 Sorte
19:30 Só 10 reais
19:30 De frente para os crimes


19:29
19:29 Qualidade dos gastos
19:28 Com entrelinha bíblica, livro narra busca por avó
19:27 Livro sobre Chico é joia visual, mas decepciona
19:26 Beyoncé lança documentário e álbum ao vivo simultaneamente
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018