Segunda feira, 27 de maio de 2019 Edição nº 15032 03/08/2018  










DR. BUMBUM Anterior | Índice | Próxima

Bancária morreu de embolia pulmonar

Lilian Calixto morreu de embolia pulmonar, confirma laudo divulgado pelo IML do Rio de Janeiro

ARQUIVO
Lilian Calixto morreu no último dia 15 após realizar um procedimento estético com o médico Denis Furtado, o Dr. Bumbum
Da Redação

Um laudo do Instituto Médico Legal do Rio de Janeiro confirmou que embolia pulmonar -obstrução em uma artéria do pulmão- foi a causa da morte de Lilian Calixto, 46. A bancária, de Cuiabá, morreu no último dia 15 após realizar um procedimento estético com o médico Denis César Barros Furtado, conhecido como Dr. Bumbum. O perito apontou que havia micro partículas espalhadas pelo pulmão da paciente, impedindo a oxigenação do sangue, segundo a TV Globo. O laudo também indicou quadro de choque, com falência de órgãos como fígado e rim.

O médico, que não tem registro para atuar no Rio nem formação em cirurgia plástica, já havia admitido em depoimento à polícia que havia injetado cerca de 300 ml de um produto chamado PMMA (polimetilmetacrilato, derivado do acrílico) no glúteo da paciente.

De acordo com a Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária), o PMMA pode ser usado para corrigir rugas e restaurar pequenos volumes perdidos de tecidos com o envelhecimento, mas em pequenas quantidades.

Nem a SBCP (Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica) nem a SBD (Sociedade Brasileira de Dermatologia) recomendam o uso do produto para fins estéticos.

Um outro laudo da Polícia Civil que também foi concluído reforça a acusação contra Denis Furtado. Peritos disseram ter encontrado vestígios de que sua cobertura na Barra da Tijuca, zona oeste do Rio, era usada para consultas e procedimentos estéticos, citando medicamentos na geladeira.

MORTE APÓS PROCEDIMENTO - A intervenção em Lilian ocorreu no dia 14, um sábado, e a paciente foi socorrida pelo próprio Denis Furtado, pela sua mãe, que teria atuado como auxiliar, e pela sua namorada, que afirma que trabalhava apenas como secretária. Os três aparecem nas imagens gravadas pelo circuito interno do Hospital Barra D'or.

A bancária morava em Cuiabá e chegou ao Rio naquele final de semana apenas para realização da cirurgia estética. Segundo a unidade de saúde, ela estava em estado extremamente grave e mesmo após "manobras de recuperação", não foi possível reverter o quadro. Ela morreu duas horas após atendimento.

Os três indiciados - o médico, a mãe Maria de Fátima Furtado e a namorada Renata Cirne - estão presos temporariamente, suspeitos de homicídio doloso duplamente qualificado e associação criminosa.

A defesa de Denis Furtado havia afirmado em entrevista coletiva concedida a jornalistas no dia 18 que julgar Furtado como culpado pela "fatalidade" ocorrida com a paciente é "precoce". (Com Folhapress)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:27 Juiz manda penhorar R$ 3,2 mi de presidente da Câmara
18:27 Juiz Federal volta a suspender eleição
18:27 Deputados do PSD terão que apoiar Mauro Mendes
18:27 Notas de verbas indenizatórias somem
18:26 Mauro Mendes hoje; Taques e Wellington amanhã


18:02 Romário terá como vice ex-PM de Maricá
18:01 País não aguenta um novo poste de Lula, diz Ciro
18:01 Gleisi ouve Lula sobre vice do PT
18:01 Me fortaleço ao deixar minha sala
18:00 Convenção oficializará candidatura Alckmin
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018