Terça feira, 21 de maio de 2019 Edição nº 15032 03/08/2018  










ENERGIA SOLARAnterior | Índice | Próxima

Fiemt lança programa de geração para a indústria

Da Reportagem

Incentivar a geração de energia solar com preços e linhas de crédito diferenciadas para indústrias e seus trabalhadores. Essa é a proposta do Indústria Solar MT, que foi apresentado ontem, em Cuiabá, durante o lançamento do Programa de Energia Sustentável da Indústria (PESI). A iniciativa é da Federação das Indústrias no Estado de Mato Grosso (Fiemt), cujo foco é o aumento da competitividade da indústria. O evento começa às 18h30 na sede da instituição.

O Programa Indústria Solar MT oferece projetos customizados de acordo com o porte e necessidade do interessado. Além disso, serão disponibilizados sete modelos de kits de geração, sendo quatro para as indústrias e três residenciais. Todos os projetos, tanto os pré-formatados quanto os customizados, terão condições diferenciadas de financiamento. O programa conta com parceria das empresas Engie e WEG, para o fornecimento e instalação dos kits, e do Sicredi para os financiamentos, além de linhas de crédito do Fundo Constitucional de Financiamento do Centro-Oeste (FCO).

Conforme explica o presidente do Sistema Fiemt, Jandir Milan, o investimento é autofinanciável, porque o pagamento das parcelas é compensado com o valor economizado na conta de energia – a redução do consumo pode passar de 90%. “Por ser o principal insumo das indústrias e o mais caro, principalmente aqui no estado, nós precisamos sempre buscar alternativas para reduzir o impacto da energia nos custos de produção. Diminuir esse custo é aumentar a competitividade, a produção, gerar mais emprego e renda. Fortalecer a nossa indústria é o que a Fiemt pretende com o programa.”, afirma o presidente.

Contando com os tributos, a energia para a indústria de Mato Grosso é a terceira mais cara do Brasil. Só a alíquota do Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) incidente sobre o custo da energia elétrica industrial é de 27% - a segunda mais alta do país, abaixo apenas de Paraná, Rio de Janeiro e Goiás, com 29%, e empatada com o Ceará.

MERCADO - Atualmente, segundo a Agência Nacional de Energia Elétrica (Aneel), o país conta com 33.306 unidades com instalação de energia solar fotovoltaica, com capacidade instalada de 320 MW. Conforme a análise de impacto regulatório feito pela Aneel, há potencial de se atingir em 703 mil unidades consumidoras no Brasil até 2014, com potência instalada total de 2.700 MW.

O PESI - O Programa de Energia Sustentável da Indústria está pautado em cinco pilares: Eficiência Energética, Programa Indústria Solar MT, Geração de Energia com Biomassa, Qualificação Profissional e Mobilidade Veicular Elétrica. O objetivo é otimizar o consumo, gerar energia sustentável a custos menores com crédito acessível, dar destinação adequada aos resíduos e estimular o conhecimento e adoção de práticas voltadas à sustentabilidade. Trata-se de uma iniciativa da Fiemt, com parceria do Senai MT, WEG, Engie, Sicredi e Energisa Mato Grosso.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:27 Juiz manda penhorar R$ 3,2 mi de presidente da Câmara
18:27 Juiz Federal volta a suspender eleição
18:27 Deputados do PSD terão que apoiar Mauro Mendes
18:27 Notas de verbas indenizatórias somem
18:26 Mauro Mendes hoje; Taques e Wellington amanhã


18:02 Romário terá como vice ex-PM de Maricá
18:01 País não aguenta um novo poste de Lula, diz Ciro
18:01 Gleisi ouve Lula sobre vice do PT
18:01 Me fortaleço ao deixar minha sala
18:00 Convenção oficializará candidatura Alckmin
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018