Quarta feira, 20 de fevereiro de 2019 Edição nº 15027 27/07/2018  










PROCURANDOAnterior | Índice | Próxima

Sem espaço com Mauro, Sachetti tenta vaga com Wellington

Da Reportagem

Sem espaço na coligação encabeçada pelo ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) deverá migrar para a coligação encabeçada pelo senador Wellington Fagundes (PR).

O parlamentar trabalha o seu nome para uma candidatura ao Senado. Os Democratas, entretanto, optaram por oferecer a segunda vaga a senatória da chapa majoritária ao ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD). O fator tempo de TV e musculatura política no Estado pesou na escolha.

A decisão de deixar o grupo de Mendes foi tomada na manhã desta quinta-feira (26), após reunião com algumas lideranças do grupo. Entre elas o deputado estadual Zeca Viana e o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, ambos do PDT.

Sachetti afirmou que também se reuniu com Mendes, na tentativa de permanecer no arco de alianças e viabilizar o seu projeto a senatória, mas não obteve sucesso.

“Sentamos com Mauro Mendes e ficou decidido que não vamos caminhar com ele. Mauro foi sincero em dizer que não consegue nos adequar no grupo. Ele alega que não temos as mesmas condições que o Fávaro tem em questão de base política eleitoral e outros pontos. Então, vamos seguir outro caminho”, explicou o parlamentar.

Questionado se Mendes não ofereceu a vaga de vice em sua coligação, tendo em vista que o ex-prefeito de Lucas de Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT) admitiu abrir mão dele para beneficiá-lo, o deputado negou.

“Não, porque eu sempre trabalhei um projeto ao Senado e não dei espaço para outra conversa. Além do mais, desde o começo estava definido que a vaga de vice seria indicação do PDT”, acrescentou.

Desta forma, entre as alternativas que estão sendo analisadas por Sachetti está a candidatura avulsa ou na coligação de Fagundes. De acordo com ele, a tendência é que seja fechada uma aliança com o republicano que ainda possui uma vaga a senador vaga em sua coligação.

“Vamos trabalhar para construir um projeto junto com Wellington Fagundes, porque sempre quis ser candidato ao Senado e lá tem espaço para o nosso projeto”, afirmou.

Insatisfeitos com o posicionamento de Mendes que escolheu o vice-governador, o Partido Democrático Trabalhista (PDT) também não descarta a possibilidade de vir a sair do arco de alianças Democratas.

A legenda trabalhava no sentido de garantir espaço para Sachetti na majoritária. “Ele queria ficar junto conosco, mas não deram espaço para ele. O Mauro decidiu contemplar o Fávaro. Agora estou esperando o Pivetta para conversamos. Estou muito descontente com esta decisão, não vou negar. Então, existe sim a possibilidade de o PDT sair do Mauro”, garantiu o deputado estadual Zeca Viana, presidente da legenda em Mato Grosso.

O pedetista afirma que a legenda não tem dificuldades em acompanhar o parlamentar, caso ele consiga espaço na coligação republicana. “Não temos nenhum veto ao Wellington Fagundes, vamos nos reunir para decidir”, finalizou.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:59 Acusado de desvio do Detran ganha liberdade
17:58 Convenções começam hoje, com PT e PDT
17:58 Dividido, PT decide hoje sobre candidatura própria ou não
17:58 Lista com contas reprovadas pelo TCU tem 222 nomes no Estado
17:57 BOA DISSONANTE


17:56 Dia 28 de julho: Dia do Agricultor
17:56 Taques vai à reeleição
17:55 De parabéns
17:55 A restrição e o veneno
17:55 A suspensão da descrença
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018