Quarta feira, 17 de outubro de 2018 Edição nº 15018 14/07/2018  










ELEIÇÕES 2018Anterior | Índice | Próxima

Sachetti é cortejado por Taques e Fagundes

Adilton Sachetti mantém intensão de ser candidato ao Senado Federal, Pedro Taques e Wellington Fagundes oferecem vaga

ARQUIVO
Adilton Sachetti: “Nunca disse que deixei de conversar com A, B ou C”
KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

Único pré-candidato com o apoio declarado do ministro da Agricultura Blairo Maggi (PP), o deputado federal Adilton Sachetti (PRB) está sendo cortejado por todos os postulantes ao cargo de governador, após ter sido “preterido” pelo ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM).

O parlamentar disputava a vaga de candidato a senador, na chapa encabeçada por Mendes, com o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD). No início desta semana, o ex-prefeito de Cuiabá afirmou que a tendência é que o social democrata seja o candidato ao Senado de sua coligação, ao lado do ex-governador Jayme Campos.

O fato despertou o interesse dos demais pré-candidatos a chefe do Executivo Estadual, e a “revolta” de alguns aliados de Mauro Mendes como é o caso do deputado estadual Zeca Viana, presidente do PDT em Mato Grosso.

Vale lembrar que, o PDT deve integrar a chapa encabeçada por Mendes como o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta como candidato a vice-governador. Diante das circunstâncias, a legenda não descarta a possibilidade de vir a abandonar o democrata para lançar um projeto próprio.

O tema foi discutido durante uma reunião realizada na noite desta quinta-feira (12). Na oportunidade, foi cogitada a formação de um novo grupo com Pivetta como candidato a governador. A medida contemplaria Sachetti, que ocuparia uma das duas vagas de candidato ao Senado.

Também foi discutida a possibilidade de o PDT se manter no arco de alianças de Mendes, mas lançar uma candidatura avulsa ao Senado para beneficiar o parlamento do PRB.

“O que nos motivou a pensar em montar uma nova chapa foi à situação do Adilton. Vamos fazer de tudo para ele ser candidato a senador. É possível, inclusive, o PDT se desvincular do Mauro e concorrer ao governo com Pivetta como candidato”, explicou Viana.

Diante disso, o governador Pedro Taques (PSDB) e o senador Wellington Fagundes (PR) estão correndo por fora para cooptar o PRB de Sachetti. O gestor tucano, inclusive, já havia convidado Sachetti para integrar a sua chapa como candidato a vice.

O parlamentar, entretanto, negou alegando que a sua intenção é viabilizar o seu projeto ao Senado. Com os novos acontecimentos, Taques fez um novo convite ao deputado nesta semana. O tucano ofertou a Sachetti a vaga de candidato a senador em sua coligação, ao lado do deputado federal Nilson Leitão (PSDB).

Já Fagundes, aproveitou o lançamento da pré-candidatura de Maria Lucia Cavalli a senadora para tentar atrair o parlamentar. “Adilton é meu amigo. Meu filho foi vice do Adilton em Rondonópolis. Entreguei meu filho nas mãos dele, quer mais confiança que isso? Eu teria o maior prazer em fazer campanha com ele”, disse o republicano.

Apesar disso, Sachetti afirma que a sua prioridade ainda é participar do projeto de candidatura de Mendes, mas não descarta dialogar com outros grupos.

“O convite foi feito. Nunca disse que deixei de conversar com A, B ou C. Já falei com o Wellington também. Vamos ter uma disputa eleitoral, não uma inimizade. Não tenho dificuldade com ninguém para conversar. Estou trabalhando na construção de um projeto junto com o Mauro, o Pivetta e o Jayme. Vou continuar acreditando que isso está acontecendo. Não é impossível (disputar na chapa de Taques). Nunca fechei a porta para ninguém, mas reitero, vou trabalhar até o último momento. Comecei uma construção e não vou começar outra antes de esgotar todas as possibilidades. Aí eu seria um ‘João vai com as outras’, que vai de um lado para o outro”, explicou.

PRÉ-CANDIDATURAS – Até o momento, o quadro político se desenha para ter três principais candidaturas a Governo do Estado, sendo elas encabeçadas pelo governador Pedro Taques (PSDB), o empresário Mauro Mendes (DEM) e o senador Wellington Fagundes (PR).

Mendes e Fagundes são os pré-candidatos que estão com suas chapas pré-definas, dependendo apenas do aval dos partidos de sua coligação. O democrata deve contar com Pivetta de vice, e Jayme e Faváro como candidatos ao Senado. Já o republicano garantiu a indicação do seu vice ao MDB, e lançou na manhã desta sexta-feira (13) Maria Lucia como pré-candidata ao Senado.

Acontece que, Mendes pode sofrer baixas por conta da situação de Sachetti, e Fagundes porque o MDB abriu diálogo com o ex-prefeito de Cuiabá.

Neste sentido, os pré-candidatos estão intensificando as suas articulações, uma vez que no próximo dia 20 inicia as convenções partidárias.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Teremos duas vagas disponíveis para o se  - mario marcio da costa e silva
· O Maurão deve pensar melhor porque se el  - ELEITOR AMIGÃO
· SIMPLÃO DE TUDO ... Quem levar leva o   - Maran Cuiabano




19:34 Presidente critica 'calor eleitoral'
19:33 Discurso de Cid coloca em xeque 'frente democrática'
19:33 Críticas vão para programa eleitoral
19:32 Aliados disputam por espaço em ministros
19:31 Grêmio dá atenção para Libertadores


19:31 Palmeiras entra em ritmo de campeão
19:31 São Paulo já está em alerta por vaga na Libertadores
19:30 Barcelona quer afastá-lo por causa de Bolsonaro, diz jornal
19:30 Brasil derrota a Argentina e continua 100%
19:29 Operário vence o Poconé por 3 a 0
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018