Sexta feira, 16 de novembro de 2018 Edição nº 15016 12/07/2018  










ARTICULAÇÕESAnterior | Índice | Próxima

Wellington não acredita em saída do MDB

Senador Wellington Fagundes não acredita que o MDB deixe a sua coligação para apoiar o ex-prefeito Mauro Mendes

ARQUIVO
Wellington Fagundes: “Minha posição sempre foi essa, de lealdade, mas também de respeito às posições”
KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

O senador Wellington Fagundes (PR), pré-candidato ao Governo do Estado, não acredita na debandada do MDB para a coligação encabeçada pelo ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (DEM), que também deve disputar a eleição rumo ao Executivo Estadual em outubro deste ano.

“Minha posição sempre foi essa, de lealdade, mas também de respeito as posições. Tenho o MDB como um partido grande, de companheiros, que já tivemos em várias eleições juntos e assim acreditamos que será. Tenho fé, tenho certeza, tenho esperança de que estaremos juntos”, enfatizou o republicano.

O diálogo entre o DEM e o MDB teria sido aberto no último sábado durante uma reunião realizada na casa de Mendes. O encontro foi confirmado pelo deputado federal Fabio Garcia, presidente do DEM no Estado. De acordo com ele, foi uma conversa preliminar, onde o Democratas apresentou o seu projeto para o estado de Mato Grosso.

O deputado federal Carlos Bezerra, presidente do MDB em Mato Grosso, por sua vez, nega que tenha se reunido com o ex-prefeito para discutir a possibilidade de apoio a pré-candidatura do democrata ao Governo do Estado.

O emedebista afirma que alguns correligionários já conversaram com o ex-gestor sobre este tema, mas afirma que as discussões ainda estão “prematuras”.

“O MDB não teve ainda uma conversa com Mauro Mendes, mas eu sei que há um desejo do Mauro de conversar com o MDB. Alguns companheiros de partido já tiveram conversando com ele, mas isso é uma coisa muito principiante, não quer dizer que o partido definiu alguma posição neste sentido”, enfatizou.

Vale lembrar que, o MDB já referendou apoio a pré-candidatura de Fagundes na corrida pelo comando do Palácio Paiaguás. O republicano, inclusive, já garantiu a participação da legenda na chapa majoritária. A tendência é que a sigla indique o vice.

Apesar disso, Bezerra afirma que o martelo ainda não está batido. “O MDB tem uma prática democrática desde a sua fundação, essas questões são discutidas com várias pessoas internamente no partido, para chegar depois em uma conclusão final. Nós estamos nessa fase de debate, ainda não concluímos esse processo”, acrescentou.

De acordo com ele, a definição sobre qual caminho seguir no pleito de outubro deste ano será tomada até o final deste mês. “Como eu disse, vamos chegar a uma definição até o final de julho para irmos para a convenção com as coisas bem claras e bem definidas”, finalizou.

O Partido Social Democrático (PSD), por sua vez, já está prestes a abandonar o barco de Wellington Fagundes. A legenda está cada vez mais próxima de Mendes, e o ex-vice-governador Carlos Fávaro deve ocupar uma das duas vagas de candidato a senador na chapa encabeçada pelo democrata.

Além do MDB e do PSD, o PP também abriu diálogo com Mendes. Questionado se teme ficar sozinho, Fagundes afirma que possui o apoio de diversos partidos e segmentos, o que torna viável o seu projeto político.

"Eu creio que essas conversas agora se afunilam, pois estamos mais próximo da convenção, e pode acabar havendo migrações. Não acredito nessa possibilidade, até porque temos muitos partidos que tem nos procurado, inclusive com segmentos ideológicos diferentes. O mais importante é a construção de uma aliança com responsabilidade para ganhar, mas acima de tudo para governador”, finalizou Fagundes.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




17:49 Mauro Mendes admite que pode ter que taxar agronegócio
17:49 BOA DISSONANTE
17:48 É decisão na Arena
17:48 Assim é
17:48 II Jornada Mundial dos Pobres


17:48 Direito ao auxílio acidente
17:47 Violência infantil
17:43 Desembargador declara que juíza “agiu politicamente” em ação
17:42 Viana acusa colegas de receberem propina
17:42 Bolsonaro defende medidas amargas
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018