Quarta feira, 17 de outubro de 2018 Edição nº 15015 11/07/2018  










CROÁCIAAnterior | Índice | Próxima

Treinador não vê Croácia como zebra diante da Inglaterra

DANILO LAVIERI
Da Folhapress – Moscou

A Croácia chegou à sua segunda semifinal de Copa do Mundo em 2018, apenas 26 anos após sua independência da antiga Iugoslávia. Mesmo sendo um país jovem e com uma população de 4 milhões de habitantes, o técnico Zlatko Dalic não vê seus jogadores, que enfrentarão a Inglaterra nesta quarta-feira (11), como uma surpresa.

"Croácia tem jogadores atuando nos melhores clubes da Europa. A gente não tem grandes resultados em campeonatos grandes há décadas. Alguma coisa precisa mudar para termos o resultado. Não deveríamos ter surpresa de estarmos entre os quatro dada a qualidade dos nossos jogadores. Eles mostraram a qualidade que temos, desde 1998. Não deveriam estar surpresos por atuar nos times que atuam", afirmou em entrevista coletiva no estádio Luzhniki, palco do jogo da semifinal.

O discurso é semelhante ao de Dejan Lovren. Para o zagueiro, os elogios recebidos da imprensa e população motivam os atletas da Croácia a buscarem uma campanha ainda melhor que a da Copa de 1998, quando a seleção chegou ao terceiro lugar do torneio ocorrido na França.

"Somos um país pequeno, com grandes jogadores que têm sucesso. Nos últimos dias, as pessoas têm falado disso. Quando você fala do nosso sucesso é muito bom para a gente. Mas não vamos parar por aqui. Sempre queremos mais. Sempre miramos mais", disse.

Outro tema tratado na entrevista coletiva foi um possível cansaço, já que a Croácia disputou prorrogação e cobranças de pênaltis contra e Dinamarca e Rússia, nas oitavas e quartas de final, respectivamente. Mesmo admitindo que os minutos a mais deixam o time mais fadigado, Lovren crê que os atletas estarão 100% para o jogo de quarta-feira.

"Claro que não é a mesma coisa fisicamente se a gente jogou 120 minutos. Mas acho que tivemos tempo para recuperar, somos profissionais o suficiente para se recuperar. Estou perfeitamente saudável, pronto, disposto. Em vários momentos você esquece qualquer cansaço que você pode ter. É uma chance na vida", ressaltou.

O técnico Dalic brincou e disse querer ver os jogadores ainda mais cansados para disputarem uma possível final contra o vencedor de França e Bélgica. "Queremos ter jogadores que tenham 100% condições e vou ver quem são os que vão estar assim depois dos treinos. Precisamos de todos os jogadores. A gente jogou cinco jogos difíceis. Mas não vamos buscar culpados, não vamos criar álibis. A gente está na semifinal para jogar. Não estamos cansados, ainda temos chances de ficar ainda mais cansados", finalizou.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:09 Taques minimiza declarações de Maggi
18:09 Wellington Fagundes é condenado pela Justiça
18:08 Programa injeta €3 mi a assentados
18:08
18:08 Clima entre vereadores esquenta na CPI da Saúde


17:50 França vê brilho de jovens e volta à final
17:50 Pela primeira vez desde 1990, algoz do Brasil não chega à final
17:49 Treinador não vê Croácia como zebra diante da Inglaterra
17:49 Subasic conta como suportou dores
17:49 Após polêmica, croatas esperam apoio dos russos
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018