Quarta feira, 17 de outubro de 2018 Edição nº 15014 10/07/2018  










BÉLGICAAnterior | Índice | Próxima

Bélgica quer voltar ao ataque contra França

Da Folhapress – São Petersburgo

Em seu plano para a Copa 2018, a Bélgica montou um time treinado para ter a posse de bola e dominar o adversário. Houve uma adaptação diante do Brasil, com um sistema mais defensivo para conter o potencial de ataque da seleção. Contra a França, porém, os jogadores falam em voltar a tentar dominar o jogo, mesmo antes de o técnico Roberto Martinez definir a escalação.

A Bélgica tem um ataque poderoso, com um total de 14 gols em cinco jogos, e costuma dominar as partidas. Mas, contra o Brasil, trocou Mertens e Carrasco por Chadli e Fellaini, reforçando a marcação. Os brasileiros tiveram 57% de posse de bola, contra 43% dos belgas - que também concluíram bem menos a gol. Deu certo e a Bélgica venceu.

"Sabemos do poder do contra-ataque da França. O Roberto Martinez sempre nos treina para manter a posse de bola e é importante continuar isso. Contra o Brasil, mudamos o sistema de jogo. Vamos preparar o jogo contra a França", afirmou o meio-campista Chadli.

A tendência é que Chadli jogue pela direita, na posição do suspenso Meunier. A questão é se ele vai atuar como lateral ou como meia pelo lado. Caso jogue como meia, a Bélgica volta ao seu tradicional 3-4-3, em vez da opção do 4-3-3 utilizada diante do Brasil.

Outra discussão é se Carrasco volta ao time pela esquerda. Com ele, o time se tornaria mais ofensivo de novo. E a há, ainda, a questão de Mbappé jogar por seu setor. Uma possibilidade é uma escalação que misture os dois estilos. Volta Carrasco pela esquerda e Felaini, um volante mais marcador, permanece no time. Assim, A Bélgica teria quatro no meio, mas jogadores mais vigorosos na marcação.

"Não tínhamos a bola (contra o Brasil), jogamos diferente. Quando tínhamos a bola, jogamos igual. Não tínhamos a bola, jogamos para defesa. Tem que sempre considerar a qualidade do seu oponente. Seria ingênuo apenas jogar o seu jogo", explicou o zagueiro Vermaelen, que é outra opção para a zaga - contra o Brasil, jogaram Alderweireld, Kompany e Vertonghen no setor.

Certo é que a principal aposta continua a ser o trio ofensivo com Hazard, De Bruyne e Lukaku. O centroavante do Manchester United e o atacante do Chelsea não treinaram neste domingo, poupados, mas não são dúvida. De Bruyne treinou normalmente.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:09 Taques minimiza declarações de Maggi
18:09 Wellington Fagundes é condenado pela Justiça
18:08 Programa injeta €3 mi a assentados
18:08
18:08 Clima entre vereadores esquenta na CPI da Saúde


17:50 França vê brilho de jovens e volta à final
17:50 Pela primeira vez desde 1990, algoz do Brasil não chega à final
17:49 Treinador não vê Croácia como zebra diante da Inglaterra
17:49 Subasic conta como suportou dores
17:49 Após polêmica, croatas esperam apoio dos russos
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018