Segunda feira, 10 de dezembro de 2018 Edição nº 15006 28/06/2018  










CASA DO HORRORESAnterior | Índice | Próxima

Câmara de Cuiabá tenta censurar imprensa

Câmara não quer que veículos de comunicação a chamem de ‘Casa dos Horrores’

DINALTE MIRANDA/DC
Censura para tentar restituir a honra do Parlamento Municipal
KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

A fim restituir a honra do Parlamento Municipal, a Mesa Diretora da Câmara de Cuiabá irá notificar todos os veículos de comunicação que utilizam o termo “Casa dos Horrores” ao se referir a Casa de Leis. A Secretaria de Comunicação do Legislativo está fazendo um levantamento, que será encaminhado a Procuradoria para que seja feito a notificação dessas empresas.

“Tem um certo tempo que a imprensa se refere a Câmara desta forma, e a atual administração da Casa resolveu tomar providências quanto a isso. A Câmara não será mais conivente com este tipo de prática”, afirmou o procurador-geral do Parlamento, Lenine Povoas.

De acordo com ele, será encaminhada uma notificação sobre este novo posicionamento da Câmara de Cuiabá a todos os veículos de comunicação indicados pela Secom do parlamento municipal.

O procurador afirma que a intenção não é censurar a imprensa, mas sim preservar o legislativo e seus servidores. “Não estamos tentando censurar a imprensa de forma alguma, até porque sabendo do direito de expressão expresso na legislação. Acontece, que este direito não é absoluto. Ao taxar a Câmara de Casa dos Horrores, estão se referindo a todos os servidores que trabalham na Câmara, pois é uma adjetivação difamatória que atingem a todos que trabalham lá”, pontuou o procurador-geral.

Para Lenine, os servidores e a instituição não podem pagar por erros isolados. Ele entende que quando se chama o Legislativo de "Casa dos Horrores", não há cunho jornalístico e informativo, mas, sim, adjetivação pejorativa e que atinge, sem distinção e de forma negativa, a imagem de todos vereadores e demais servidores que trabalham na Câmara.

“Por causa de um vereador, mais de 500 pessoas são atingidas. Queremos reaver a honra do Parlamento”, acrescenta.

Ele explica que, após a notificação, caso os veículos de comunicação insistam em se referir a Câmara com este termo pejorativo, não está descartada a possibilidade de o Parlamento vir buscar os seus direitos perante o judiciário.

“Acho que o Legislativo deve ser preservado. Os casos em que os vereadores estejam, em tese, envolvidos devem ser destinados a eles e não a Casa. Se esse é o sentido da restrição, o de preservar o Legislativo, eu concordo”, disse o vereador Luis Cláudio (PP).

Esse termo se propagou por causa de sucessivos escândalos envolvendo vereadores. Ele e perdura desde a época dos ex-presidentes Chica Nunes e Lutero Ponce até a atualidade.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· SEM PRECISAR NOTIFICAR A EMPRESA SOBRE O  - walter
· Que respeito que esses canalhas querem q  - Moises
· É só mudar para ZONA DE BAIXO MERETRÍCIO  - Apolinario Gentil
· Tanta coisa importante para essa Câmara   - Wilson




18:32 Justino deve lançar Saad candidato
18:28 Taques lança concessão e rebate críticas
18:28 Justiça eleitoral investiga segurança de Selma Arruda
18:24 Alckmin em Cuiabá na próxima semana
18:24 PSDB deve repassar R$ 1,8 mi para campanha de Taques


18:14 Colômbia avança e Senegal cai no desempate dos cartões
18:14 Japão perde e classifica por diferença de cartões
18:13 Tunísia vira sobre o Panamá e
18:13 Bélgica entra na rota do Brasil
17:52 AL quer mexer no bolso dos deputados
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018