Terça feira, 17 de setembro de 2019 Edição nº 15004 26/06/2018  










OPOSIÇÃOAnterior | Índice | Próxima

Wellington rebate críticas do governador Pedro Taques

Da Reportagem

O senador Wellington Fagundes (PR), pré-candidato ao Governo do Estado rebateu as críticas do governador Pedro Taques (PSDB), de que seu arco de alianças é formado apenas por integrantes da gestão passada.

Para o republicano, o atual chefe do Executivo Estadual não tem legitimidade para proferir este tipo de crítica, uma vez que a sua base de sustentação na Assembleia Legislativa é formada pelos mesmos parlamentares que defendiam a gestão do ex-governador Silval Barbosa.

“O governo Pedro Taques também tem gente que estava no governo Silval. Foi esse, inclusive, o grande problema da gestão do Taques, a grande falta de gestão, pois ele excluiu setores da sociedade, excluiu a classe política e agora está lá de volta. A base que dá sustentação para ele hoje na Assembleia é exatamente a mesma base que deu sustentação para o governo passado”, refutou.

O republicado ainda lembrou que, o deputado estadual Max Russi (PSB), que foi secretário de Trabalho e Assistência Social (Setas) e também chefe da Casa Civil no ano passado, era ligado ao grupo de apoio da gestão Silval. “O Max também está lá com ele. E o Max era uma pessoa que estava na nossa aliança e estava em um partido e voltou para o PSB”, enfatizou.

No que diz respeito a eleição deste ano, Fagundes não descarta a possibilidade de vir a unir forças com o Democratas (DEM) para o pleito de outubro deste ano. O republicano, que desde o ano passado vem trabalhando o seu nome para a disputa ao Governo do Estado, garante que não tem veto a nenhum partido e quer dialogar com todos até a convenção.

“Nós queremos somar, quanto mais a gente puder ter apoio melhor. Sempre disse que nós não estamos fechados, não temos veto a ninguém eu acho que agora e o momento de dialogar até a convenção. As convenções que vão dar a resposta final, mas eu vejo que quanto mais candidatos, melhor para a população ter a opção de poder escolher. Agora se outros partidos quiserem conversar conosco, nós estamos abertos”, pontua.

A pré-candidatura de Fagundes já conta com o apoio de cinco partidos e trabalha no convencimento do PSD, que possui o ex-vice-governador Carlos Fávaro ao Senado Federal. “Já temos conosco o MDB, PT, PTB, PP, PCdoB e o PSD, que estamos conversando”, enfatizou. (KA)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:02 BOA DISSONANTE
18:01 Taques se preocupa com contas na AL
18:00 o Senado Federal e a ditadura do STF
18:00 Deputado é cidadão! Até que ponto?
17:59 O secretário e a arena


17:57
17:57 Resistência à CPMF
17:56 A história secreta de uma indústria pop
17:56 Com novo livro, Pondé diz que modernidade é como adolescente que julga mãe
17:55 O nome dela é Gal
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018