Sexta feira, 20 de setembro de 2019 Edição nº 15004 26/06/2018  










PRESIDENCIÁVELAnterior | Índice | Próxima

Em Cuiabá, Meirelles critica dependência de Brasília

KAMILA ARRUIDA
Da Reportagem

O ex-ministro da Fazenda e pré-candidato à presidência da República Henrique Meirelles (MDB) disse ontem que o Governo do Estado precisa adotar medidas que aumentem a arrecadação para não ficar apenas na dependência de repasses federais.

“O Estado também precisa aumentar a sua arrecadação. Não pode ficar só dependendo do governo federal. Estado tem que ter receita. Ter a economia mato-grossense crescendo forte”, enfatizou.

Sem citar o governador Pedro Taques (PSDB), o emedebista disse que Mato Grosso precisa de um “bom gestor” para implementar projetos que melhore o desempenho econômico do Estado.

“Além do mais, como qualquer casa, precisa ser bem administrada. Uma casa mal administrada não há como resolver o problema. Não há como sustentar bem a família se o dono de casa está gastando onde não deve. A gestão é fundamental. Então, Mato Grosso precisa de uma boa gestão aqui. Segundo, aumentar a arrecadação do Estado. E o Governo Federal também crescendo, tem condições de fazer mais repasses para o Estado”, alfinetou.

Meirelles esteve na Capital nesta segunda-feira (25), onde participou do Seminário Encontro com o Futuro, promovido pela Fundação Ulisses Guimarães, ligada ao MDB.

As suas declarações fazem referência ao discurso adotado por Taques, que justifica os recorrentes atrasos de sua gestão com a diminuição do repasse federal.

“A arrecadação tem que crescer para o Governo Federal ter condições de compensar os Estados, particularmente Mato Grosso por conta, por exemplo, da Lei Kandir. E aqui tem que se fazer a industrialização no Estado de maneira que toda riqueza fique gerada e permaneça em Mato Grosso”, defendeu.

Além disso, Meirelles ainda sugeriu que fosse feito maiores investimentos no setor de infraestrutura logística do Estado. Para ele, isso pode refletir no aumento da industrialização, gerando assim aumento e emprego e refletindo diretamente na economia.

“Temos que criar uma rede de transporte adequado para escoar a produção. É fundamental. E isso significa segurança, estabilidade e significa atrair investimentos no mundo inteiro para o Estado. Pegar a produção de Mato Grosso e industrializar, criar fábricas para industrializar essa produção. Industrias que somem riqueza ao Estado e transporte adequado”, finalizou.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· esse cidadão era para estar preso junto   - joao prdro de figueiredo filho




18:14 Embarques de milho somam US$ 1,34 bi em agosto, alta de 169,2%
18:13 Confinamento impulsiona abates em MT
18:02 Selma muda para o Podemos
18:02 BOA DISSONANTE
18:01 Ajuste no lugar errado


18:01 Medidas cautelares e prerrogativa de foro
18:00 Força feminina
17:59 Pivetta assume governo pela primeira vez
17:59 Revisão aponta superávit de R$ 121 milhões
17:59 Vereador entrega cargos que possuía na Prefeitura
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018