Sábado, 21 de setembro de 2019 Edição nº 14994 12/06/2018  










GRACI OURIVES DE MIRANDA Anterior | Índice | Próxima

Amar sempre mais

Devemos aprender a amar mais o Brasil, e defender os cidadãos.

Poderemos iniciar esse treinamento cultural: ‘reunir/unir’ no espaço familiar.

Em se tratando de: reunião/união, que existam posturas geradoras do mundo melhor, a comunicação realmente nos transforma. Evidentemente, tornaremos melhores.

Refletindo sobre o tema reunir/unir a empresária Edna M. Marques (10/06/2018, pontuou: “Não só reunir, mas unir (...) vamos esquecer as diferenças. (...)". Cristaliza-se que, devemos ter ações de: jamais ser preconceituosos.

Notar-se-á que a beleza do nosso cotidiano está na mesclagem das cores, cada indivíduo tem sua história de vida, aceitar o outro tal qual o é, isto é cultura. Quando há humanismo celebramos a paz.

O escritor, Napoleon Hill, (1883-1970). “Reunir-se é um começo, permanecer juntos é um progresso, e trabalhar juntos é um sucesso (...).”

Creiamos que, será a partir da reunião/união que proverá soluções. Já que não podemos somar tanto com o Estado, e, nem sequer devemos ser dependentes do mesmo.

O cenário do poder central, atualmente é lamentável. Contudo temos esperanças, de: sociedade com mais justiça. Políticos vamos seguir lideres familiares 'quase anônimos’.

Há exemplo de lideranças, praticando ‘reunião familiares’, isto poderá ser assimilado e praticado pelos Poderes.

Em reunião de pequeno grupo da família ‘M/S.’ (vamos ocultar nome) houve a abordagem, de um líder podemos fazer uma reunião com a grande família.

A partir deste momento foi utilizado a articulação familiar.

Ativou-se o 'chamar’, e foi formador de união, surgiu um grande líder familiar.

Em poucos dias a família ia acrescentando mais um nome na lista. Nenhuma dificuldade surgia, e quando parecia que alguém não poderia ir ao encontro, um familiar já assimilava as necessidades e já estava à postos: conte comigo. Políticos desenvolvam esta habilidade ‘reunir/unir’.

Enfim, lá estavam quase 100 pessoas.

Poderes sigam exemplo de lideranças familiares para propiciar bem-estar para todos. Se os políticos se comunicassem melhor, o IBGE não estaria com estes números alarmantes.

Devemos restabelecer vínculos de aproximação social.

Há números vergonhosos para um Estado gigante. Aprendam com líder familiar: “M/S”.

Quanto, a educação segundo o IBGE 21/12/2017, o Brasil apresenta vergonhosamente 11,8 milhões de cidadãos brasileiros analfabetos, estes com 15 anos e mais. (Fonte-Pnad Contínua, 2016). Então sociedade vamos assimilar conhecimentos com bons exemplos no cenário da família.

Celeridade poderes, a sociedade aguarda suas articulações, use a estrutura reunir/familiar: “M/S”. Assim o Estado será transformador.



* GRACI OURIVES DE MIRANDA, professora Português/literaturas: Língua Portuguesa e inglês/literatura inglesa. Registro LP9614565/Demec/SP-SP. Especialização História Social - UFMT. Curso - USP-SP: “Prática de ensino da língua inglesa”. 02 artigos científicos - UFMT. 04 Livros publicados, sendo 1 - obra científica

go.miranda@uol.com.br



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:14 Embarques de milho somam US$ 1,34 bi em agosto, alta de 169,2%
18:13 Confinamento impulsiona abates em MT
18:02 Selma muda para o Podemos
18:02 BOA DISSONANTE
18:01 Ajuste no lugar errado


18:01 Medidas cautelares e prerrogativa de foro
18:00 Força feminina
17:59 Pivetta assume governo pela primeira vez
17:59 Revisão aponta superávit de R$ 121 milhões
17:59 Vereador entrega cargos que possuía na Prefeitura
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018