Terça feira, 23 de abril de 2019 Edição nº 14982 23/05/2018  










PÃO E CIRCOAnterior | Índice | Próxima

Casa de Guimarães é alvo do Gaeco

Da Reportagem

O Grupo de Atuação Especial Contra o Crime Organizado (Gaeco), composto por membros do Ministério Público, Polícia Civil e Polícia Militar desencadeou ontem a Operação Pão e Circo, com mandados de busca e apreensão em Cuiabá e Chapada dos Guimarães, nas sedes da Associação Casa de Guimarães, todos expedidos pela Vara Especializada do Crime Organizado da Capital.

A Associação Casa de Guimarães, principal alvo da Operação, recebeu mais de R$ 35 milhões por meio de contratos com o Governo do Estado e a Assembleia Legislativa no período sob investigação, entre 2011 e 2018.

O montante consta nos registros de pagamentos do Sistema Integrado de Planejamento, Contabilidade e Finanças (Fiplan) e se refere a empenhos efetivamente pagos - sem considerar estornos e processos ainda em liquidação.

Somente na atual administração, a entidade recebeu um total de R$ 13,29 milhões relacionados a 42 empenhos. Entre os eventos realizados pela entidade no período, estão o Vem para Arena, a Expoagro e o Festival de Inverno de Chapada dos Guimarães.

O maior volume de recursos pago por uma ação da associação, porém, foi em 2014, sob responsabilidade da Secretaria Extraordinária da Copa do Mundo FIFA 2014: R$ 13 milhões, pela realização do FIFA Fan Fest, que reuniu milhares de torcedores no Parque de Exposições de Cuiabá

Ao todo, entre 2011 e 2014, a Casa de Guimarães recebeu um total de R$ 22,25 milhões. Além da ação na Copa do Mundo, destaca-se no período um total de R$ 3,6 milhões recebidos para a organização de três edições do Festival de Inverno de Chapada.

No total, segundo o Fiplan, a associação recebeu R$ 35,48 milhões no período sob investigação.

Segundo o Ministério Público, a operação investiga indícios de constituição de constituição de organização criminosa, peculato, falsidade ideológica, fraude em licitações e lavagem de capitais.

Foram cumpridos mandados de busca e apreensão nas sedes da Casa de Guimarães, em Cuiabá e Chapada.

"A realização de buscas e apreensão de documentos tem por finalidade a obtenção de provas para subsidiar as investigações em curso", disse a Promotoria, em nota à imprensa.

O Gaeco não informou os nomes dos alvos da ação. A Casa de Guimarães tem como gerente-executiva a empresária Erika Abdala.

SALGADEIRA - A Associação Casa de Guimarães – investigada na Operação Pão e Circo por desvio de dinheiro público - foi contemplada por um convênio de R$ 946 mil com a Secretaria de Desenvolvimento Econômico (Sedec) de Mato Grosso na última quinta-feira (17), para realizar diversas atividades culturais no Complexo da Salgadeira, na Rodovia Emanuel Pinheiro.

O projeto deveria ser executado até agosto (por três meses) e custeado com recursos oriundos de emendas parlamentares. Na publicação oficial não está especificado o serviço que a associação prestará.

Com o processo, a Casa de Guimarães ficaria responsável pela administração de uma sala de atendimento ao turista, sala de exposição, sala do dinossauro, espaço para feira gastronômica e de artesanatos e uma brinquedoteca.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:03 MT tenta renegociação com banco
19:03 Taques pede tranquilidade aos servidores públicos
19:03 TJ deve analisar hoje HC de Mauro Savi
19:02 Sindicato pressiona TJ por ação no STF
19:02


17:32 BOA DISSONANTE
17:32 PT: Lula é oportunidade para reencontrar a democracia
17:31 Endurecer a lei contra o crime
17:29 Ateu, graças a Deus!
17:29 Dom Lula e as universidades
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018