Segunda feira, 19 de agosto de 2019 Edição nº 14977 16/05/2018  










TELEVISÃOAnterior | Índice | Próxima

Segundo Sol vai invadir a sua casa

Nova novela da Globo tem romance entre cantor dado como morto e moça do interior

LEANDRO VIEIRA
Da Folhapress - São Paulo

Um artista com a carreira em declínio começa a faturar muito dinheiro após a sua morte. O detalhe: ele não morreu realmente. Esse é o mote de "Segundo Sol", novela das nove da Globo que estreou na noite de segunda-feira (14). A trama, escrita por João Emanuel Carneiro, autor do sucesso "Avenida Brasil" (Globo, 2012), ainda abre espaço para histórias de amor e dramas familiares.

O protagonista é Beto Falcão, interpretado por Emilio Dantas. Ele é um cantor de axé que já não faz mais sucesso e que, além de encarar a decadência, vê a família contrair dívidas por conta da construção de um estúdio musical para que ele possa trabalhar. "Beto é um sujeito que vai experimentar uma sequência de conflitos, inclusive alguns criados por ele mesmo. Teve apenas uma música de destaque em toda a carreira, a "Axé Pelô", e usou e abusou do hit. Uma hora, isso ia acabar", conta Dantas.

Sua história muda quando ele perde um voo que iria para Aracaju (SE). O avião cai e todos pensam que ele morreu. A comoção em torno do acidente faz com que volte a ser considerado um ícone da música.

Seu irmão e empresário, Remy (Vladimir Brichta), mancomunado com Karola (Deborah Secco) -namorada de Beto, que tem um caso com o próprio cunhado-, decide não desmentir a história da morte. Esconde Beto e aproveita a boa fase financeira que se inicia.

Essa é apenas uma das falcatruas de Remy. Mau-caráter, ele cria uma picaretagem atrás da outra. "É um safado indefensável, além de se sentir extremamente incomodado pelo carisma de Beto. Ele desvia dinheiro que o próprio irmão ganha", revela Brichta.

Beto topa participar da mentira lançada pelo irmão e pela namorada e resolve se isolar em Boiporã, uma fictícia ilha longe de tudo. Ele pensa, a princípio, que passará dias difíceis no local, até que conhece Luzia (Giovanna Antonelli). Abandonada pelo marido, ela cria os dois filhos sozinha e nunca mais pensou em se envolver com alguém até encontrar Beto, que ela não sabe se tratar de um astro.

"A Luzia é uma personagem cheia de pensamentos, de ideias . O encontro com o Beto será mais um evento inesperado de sua vida", conta a atriz.

VILÃS - Como toda novela, "Segundo Sol" também terá as suas personagens malvadas. Além do picareta Remy (Vladimir Brichta), também vão se destacar como vilãs Laureta (Adriana Esteves) e Karola (Deborah Secco).

"A Karola será uma vilã mais palhaça, que se atropela e se atrapalha o tempo todo. Já a Laureta é um pouco menos cômica. As duas são bem humanas e vão cometer os seus erros", diz o autor João Emanuel Carneiro.

Laureta é uma espécie de mestra para Karola, que costuma ouvir os seus conselhos e segui-los. Deborah conta que Karola será uma vilã que vai surpreender. "Ela é, sim, uma pessoa que faz maldades, mas acredito que um dos motivos principais é a paixão que ela sente pelo Beto [Emilio Dantas]. A Karola vai ficar cega de amor por ele e não vai deixar que ele namore com Luzia [Giovanna Antonelli] tão facilmente", afirma ela.

Laureta se mostra como promotora de eventos mas, na verdade, é uma cafetina de alto padrão. Karola foi uma de suas prostitutas. A jovem saiu do mundo da prostituição, mas elas não cortaram definitivamente os laços.

"A Karola estará entre o engraçado e o malvado. E tem muito do passado dela que estará no jogo", diz Deborah.

NEGROS - Antes mesmo de ter o primeiro capítulo exibido, a novela "Segundo Sol" já gerou uma discussão: a pouca presença de atores negros em seu elenco, sobretudo nos papeis principais. A trama criada por João Emanuel Carneiro se passa na Bahia, estado em que a comunidade negra é grande. No entanto, não há um único negro escalado entre os protagonistas.

A Globo percebeu as manifestações que surgiram, principalmente nas redes sociais, e emitiu uma nota sobre o caso. "Uma história como a de "Segundo Sol", também pelo fato de se passar na Bahia, nos traz muitas oportunidades e, sem dúvida, reflexões sobre diversidade na sociedade. Isso será abordado ao longo da novela, que está estruturada em duas fases", diz a emissora por meio de sua assessoria.

A nota ainda afirma que as críticas recebidas se basearam na primeira etapa da novela, mas que outras histórias vão surgir. "Estamos atentos, ouvindo e acompanhando esses comentários, seguros de que ainda temos muita história pela frente. De fato, ainda temos uma representatividade menor do que gostaríamos e vamos trabalhar para evoluir com essa questão."

O Ministério Público do Trabalho solicitou que a emissora faça mudanças em "Segundo Sol" para que a novela das nove, que estreia hoje, possa representar mais a variedade racial brasileira. A Globo terá dez dias para fazer as alterações e, caso elas não sejam realizadas, a emissora pode ter problemas na Justiça. Essa polêmica fez com que um grupo de atores da própria novela procurasse a direção artística da Globo. Eles mostraram desconforto com a situação e expuseram que, de fato, a falta de negros no elenco precisava ser discutida.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:15 Política de preços da gasolina é perversa
19:15 Valor Bruto da Produção deve superar a de 2017
19:15 15% da receita nacional foi gerada por MT em 2017
19:14 102 mil micro e pequenas empresas beneficiadas
19:12 Juiz suspende projeto que permite reeleição para presidente


19:12 Deputados limpam pauta e já podem votar fundo
19:11 STF manda governo pagar duodécimos da Defensoria
19:11 TRF nega pedido para prender deputado Fabris
19:11 Silval Barbosa recomenda colaboração
19:10 MPE denuncia 58 pessoas no caso Detran
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018