Quarta feira, 24 de abril de 2019 Edição nº 14975 12/05/2018  










Anterior | Índice | Próxima

Trânsito não anda

O trânsito não anda, mas a vida passa. Essa é a dramática conclusão que se pode tirar de recente pesquisa divulgada pela Confederação Nacional da Indústria (CNI), que revela dados preocupantes sobre a permanência dos brasileiros nos deslocamentos para o trabalho, para o estudo e para outros compromissos que exijam sair de casa. Pelo menos 31% dos pesquisados em 142 municípios disseram que passam mais de uma hora no trânsito diariamente. Nas cidades com mais de 100 mil habitantes, o percentual sobe para 39%. Essa demora involuntária, causada por congestionamentos, pelo excesso de veículos particulares nas ruas e pela concentração de pessoas em áreas centrais, causa prejuízos, provoca estresse e evidencia a urgência de políticas públicas mais eficientes para equacionar o brete da mobilidade urbana no país.

Entre os fatores que agravam o problema do trânsito no Brasil, estão a má qualidade do transporte público, o aumento de renda e de crédito para o consumidor nos últimos anos e também uma causa histórica, que é a política rodoviarista. Tudo gira em torno do automóvel. As cidades, os prédios, as vias urbanas, os espaços de compras e lazer, todos são planejados mais para os veículos do que para as pessoas.

O resultado, além dos engarrafamentos já referidos, é a poluição ambiental e sonora, que reduz ainda mais a qualidade de vida dos habitantes das metrópoles. Sem investimento em transporte público eficiente, não há saída. Por mais que os administradores públicos e os especialistas tentem organizar o trânsito, com obras e sinalizações adequadas, o excesso de veículos provoca colapsos.

A mesma pesquisa da CNI demonstra que 36% dos brasileiros consideram o transporte público ruim ou péssimo, 32% o classificam como regular e apenas 24% consideram-no ótimo ou bom. De onde se conclui que nossos governantes, mesmo que não disponham de recursos para investir em novas alternativas de transporte, deveriam qualificar os equipamentos disponíveis para ao menos atenuar o desconforto dos cidadãos.



Entre os fatores que agravam o problema do trânsito no Brasil, estão a

má qualidade do transporte público e a política rodoviarista.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:46 Lucimar Campos lança R$ 65 milhões em obras
19:45 Manobra por reeleição deve criar embate jurídico
19:45 Deputados decidem na segunda se votam por soltura de Savi
19:44 Silval é condenado a 14 anos de prisão
19:43 Bandidos assaltam Correios em Sinop


19:42 GCCO faz nova operação contra facção criminosa
19:42 Servidores do socioeducativo entram hoje em greve
19:40 BOA DISSONANTE
19:40 Jayme não gosta da proposta de Mauro ser vice de Pivetta
19:38 Bolsonaro e a China
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018