Domingo, 18 de agosto de 2019 Edição nº 14972 09/05/2018  










ESFORÇOAnterior | Índice | Próxima

Zeca Viana tenta unir oposição

Da Reportagem

O deputado estadual e presidente do PDT em Mato Grosso, Zeca Viana, disse ontem que pretende unir a oposição em torno de apenas um nome para concorrer ao pleito deste ano, contra o governador Pedro Taques (PSDB), que buscará a reeleição. Um dos partidos que pode se juntar ao grupo é o PSL, que tem o ex-prefeito de Sorriso, Dilceu Rossato, e a juíza aposentada Selma Arruda como pré-candidatos ao Governo e ao Senado, respectivamente.

Em entrevista à Rádio Capital, Zeca Viana revelou que o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta (PDT), teria conversado com Rossato e Selma, mas que não teria conhecimento do conteúdo do diálogo. O deputado afirmou que o fato de existir uma possibilidade de que Pivetta seja candidato ao Governo pode fazer com que o ex-prefeito de Sorriso abra mão de disputar o mesmo posto.

“Não fiquei a par do que foi conversado. Acredito que pela visão e o conhecimento do Rossato, acho que ele não vai querer disputar uma cabeça de chapa, principalmente tendo o Pivetta do outro lado. Para ele, é importante para o próprio PSL, estar junto numa conjuntura, trabalhando a candidatura da Selma ao Senado, do que dividirmos os votos na oposição”, avaliou Viana, praticamente cravando o apoio do PDT à candidatura de Selma Arruda.

Viana aponta ainda que é necessário avaliar qual ‘musculatura’ o PSL possui em Mato Grosso. “É um partido que está sendo representado pelo pré-candidato à presidência da República, Jair Bolsonaro. Tem muitos partidos em que todo mundo quer beliscar um pouquinho de participação. Isso tudo será negociado lá na frente. O Rossato é um político experiente, ex-prefeito de Sorriso, e irá entender muito bem o que é melhor para Mato Grosso. Tenho confiança de que pode acontecer sim um grande entendimento entre nós e o PSL”, disse.

Um dos pontos que a possível coligação terá que definir, está no segundo nome para a corrida para o Senado. Entre os possíveis nomes para a vaga, estão o ex-senador Jayme Campos (DEM), o deputado federal Adilton Sachetti (PRB), o atual senador José Medeiros (Podemos) e o ex-vice-governador na gestão de Taques, Carlos Fávaro (PSD).

Zeca Viana também afirmou que a indefinição do ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), em se posicionar se irá de fato ser candidato ou não ao Governo do Estado, deixa o grupo político “preocupado”.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:04 Mauro Savi e Paulo Taques são presos
18:04 Desembargador nega pedido de afastamento de Botelho
18:04 MP: foram pagos mais de R$ 30 milhões em propina
18:04 AL não poderá votar sobre prisão de deputado Savi
17:41 Desistência beneficia Marina, segundo Datafolha


17:41 Vereador nega atuação em morte e cita “factoide”
17:41 Dilma se arrepende de assinar lei da delação premiada
17:40 Ministro quer ampliar restrição do foro
17:31 BOA DISSONANTE
17:31 Maggi permanece intocado no Ministério
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018