Terça feira, 23 de abril de 2019 Edição nº 14972 09/05/2018  










DIA DAS MÃESAnterior | Índice | Próxima

Data é considerada ‘Natal’ do 1º semestre

Dia das Mães deve fazer com que 74% dos brasileiros realizem ao menos uma compra no período

ARQUIVO
Comerciantes animados com as vendas para os Dia das Mães
MARIANNA PERES
Da Editoria

Empresários do varejo estão apostando na retomada das vendas com a proximidade do Dia das Mães, evento, que dentro do calendário comercial, passou a ser a segunda melhor do ano, perdendo apenas para o Natal. Apesar de alcançar tanta importância para o comércio, a data vinha refletindo a crise econômica sobre o país, especialmente de 2015 a 2017. Para esse ano, o otimismo aponta para recuperação do titulo de segunda melhor data comercial do ano, especialmente entre os varejistas da Capital.

Expectativa do setor é que o comércio cuiabano acompanhe a tendência nacional de crescimento no volume de vendas para o Dia das Mães. A Fecomércio/MT espera que Cuiabá acompanhe a previsão da Confederação Nacional do Comércio de Bens, Serviços e Turismo (CNC) de crescimento para o setor nesta data, que é de 4,3%.

A projeção de aumento deriva da melhora dos indicadores por parte dos empresários do comércio e dos consumidores em Cuiabá. Divulgada no dia 27 de abril, a pesquisa que mede a Confiança do Empresário do Comércio (Icec) apresentou crescimento de 15,8% entre abril do ano passado e o mesmo período de 2018. Já a Intenção de Consumo das Famílias (ICF), divulgada no dia 19 de abril, teve aumento de 8,4% na comparação com abril de 2017.

O presidente da Fecomércio/MT, Hermes Martins da Cunha, explica que os efeitos da crise dos últimos dois anos estão menos rigorosos e, por isso, a melhora já é observada em indicadores econômicos. “Nossa expectativa de melhora vem ocorrendo ao longo dos meses com a retomada no crescimento das vendas em datas especiais para o comércio, o custo do crédito cada vez menor e a melhora das condições econômicas das famílias. Essa e outras datas comemorativas vão ajudar na projeção de crescimento das vendas do comércio para o final do ano, que está previsto em pouco mais de 5%”.

Os produtos que deverão registrar aumento significativo nas vendas são vestuário e calçados, que costumam responder por quase metade do faturamento total. Artigos de uso pessoal, perfumaria, doméstico, de hiper e supermercados também têm expectativa de aumento nas vendas na data.

CONSUMIDOR - Segundo estimativas do Serviço de Proteção ao Crédito (SPC Brasil) e da Confederação Nacional de Dirigentes Lojistas (CNDL) o Dia das Mães deve fazer com que 74% dos brasileiros realizem ao menos uma compra no período, aproximadamente 111,5 milhões de brasileiros devem presentar, o que deve injetar cerca de 17,05 bilhões de reais nos setores do comércio e serviços.

Embora o percentual de consumidores que devem ir às compras seja elevado, a maior parte dos compradores está receosa para aumentar gastos na comparação com o ano passado, procurando manter o orçamento livre de dívidas. Cerca de 19% dos consumidores entrevistados disseram que têm a intenção de desembolsar mais com os presentes. A maior parte, no entanto (36%), planeja gastar a mesma quantia que em 2017, enquanto 18% pensam em diminuir.

Entre os que pretendem gastar mais, as principais razões são comprar um presente melhor (58%), estar com uma renda melhor este ano (33%) e por acreditar que os presentes estão mais caros (29%). Já entre os que pretendem gastar menos, o fato de estar com o orçamento apertado (48%), querer economizar (27%) e estar desempregado (26%) são os principais motivos. O gasto médio deve ser de R$ 153.

O pagamento à vista será o meio mais utilizado pelos consumidores, sendo que em 53% dos casos o pagamento será em dinheiro e em 24%, no cartão de débito. O cartão de crédito parcelado será usado por 28% dos entrevistados. Entre os que dividirão as compras, a média é de quatro prestações por entrevistado.

De acordo com o levantamento, a maioria (44%) dos consumidores deve comprar apenas um único presente. Somente 8% dos entrevistados disseram que iriam comprar quatro ou mais itens.

Considerando a soma de todos os presentes adquiridos, o gasto médio do brasileiro no Dia das Mães deve ser de R$ 152,98. No entanto, praticamente um terço dos entrevistados (34%) estão indecisos e ainda não sabem ou não decidiram o valor que pretendem desembolsar este ano.

A maioria (59%) dos consumidores ouvidos pela pesquisa acredita que os produtos estão mais caros do que em 2017. Por outro lado, 38% consideram que os presentes estão na mesma faixa de preço e somente 2% acreditam que os produtos estão mais baratos.

Quatro em cada cinco entrevistados (83%) pretendem comprar o presente pagando sozinhos, 8% pretendem dividir o valor integral com outras pessoas e 4% afirmam que vão pagar sozinhos parte do presente, porém o restante será rateado com outras pessoas. A maior parte dos que vão dividir (44%) afirma que vai presentear juntamente com os irmãos, 24% com o cônjuge ou companheiro, 22% com outros familiares e 18% vão dividir com o pai.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:04 Mauro Savi e Paulo Taques são presos
18:04 Desembargador nega pedido de afastamento de Botelho
18:04 MP: foram pagos mais de R$ 30 milhões em propina
18:04 AL não poderá votar sobre prisão de deputado Savi
17:41 Desistência beneficia Marina, segundo Datafolha


17:41 Vereador nega atuação em morte e cita “factoide”
17:41 Dilma se arrepende de assinar lei da delação premiada
17:40 Ministro quer ampliar restrição do foro
17:31 BOA DISSONANTE
17:31 Maggi permanece intocado no Ministério
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018