Quinta feira, 16 de agosto de 2018 Edição nº 14953 10/04/2018  










OPOSIÇÃOAnterior | Índice | Próxima

Nove partidos se unem para enfrentar Taques

Mauro Mendes e Carlos Fávaro almoçam com partidos que querem enfrentar o governador Pedro Taques em outubro

DIVULGAÇÃO
Almoço ontem na Taberna Portuguesa reuniu nove partidos
KAMILA ARRUDA
Da Reportagem

Lideranças de nove partidos se reuniram nesta segunda-feira (09) para debater uma possível aliança nas eleições de 2018. As legendas pretendem construir um projeto para disputar o Governo do Estado contra o governador Pedro Taques (PSDB), que deve buscar a reeleição em outubro.

Participaram da reunião representantes do PDT, DEM, PSD, PTB, PRB, PHS, PCdoB, PP e PROS. O encontro ocorreu no restaurante Taberna Portuguesa durante o almoço. Dentre os presentes no almoço, organizado pelo presidente regional do PDT, deputado estadual Zeca Viana, estavam o ex-vice-governador Carlos Fávaro (PSD), o ex-prefeito de Cuiabá, Mauro Mendes (DEM), os deputados federais, Ezequiel Fonseca (PP), Fábio Garcia (DEM) e Adilton Sachetti (PRB), o deputado estadual Mauro Savi (DEM), o ex-senador Júlio Campos, o presidente do Pros, vereador Dilemário Alencar e o suplente de deputado estadual, Adriano Silva (DEM), o ex-senador Osvaldo Sobrinho (PTB) e a ex-reitora da UFMT Maria Lúcia Cavalli Neder (PCdoB).

Após o almoço, os partidos de oposição divulgaram uma nota na qual ficou estabelecido entre os presentes a disposição em construir um projeto de governo alternativo para Mato Grosso. Entre as razões apontam frustração com a gestão do atual governo, e percepção de que o modelo de gestão de Taques não atende e não irá atender aos anseios sociais dos mato-grossenses.

Além disso, ressaltam que nas próximas semanas, as siglas estarão construindo uma agenda de propostas e compromissos para serem debatidos com todos os setores representativos do Estado. Por fim, afirma que estão abertos à ampliação do diálogo com outros partidos e com todos os setores da sociedade.

“Os partidos vão dar as suas contribuições e vamos sentar para desenhar esse novo projeto para Mato Grosso”, disse o presidente do DEM, deputado federal Fabio Garcia.

Apesar de possuir nomes de peso para a disputa majoritária, o grupo preferiu não entrar nesta ceara no momento. No entanto, o ex-prefeito Mauro Mendes continua sendo o mais cotado para representar o grupo no pleito rumo ao comando do Palácio Paiaguás neste ano.

O ex-deputado federal Julio Campos (DEM) aposta no ex-prefeito de Cuiabá. O cacique democrata disse, inclusive, que Mendes já possui até mesmo coordenador-geral de sua campanha, o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta.

O cacique democrata informa ainda que Mendes já possui até mesmo coordenador-geral de sua campanha, o ex-prefeito de Lucas do Rio Verde Otaviano Pivetta (PDT).

“Praticamente está garantido. Tem vários apoiadores e até coordenador-geral. O ex-prefeito de Lucas do Rio Verde, Otaviano Pivetta, que coordenou a campanha vitoriosa de Pedro Taques em 2014, já se colocou à disposição”, enfatizou.

O ex-parlamentar afirma que a confirmação foi dada pelo próprio ex-prefeito durante reunião realizada na semana passada. De acordo com ele, o objetivo agora é ampliar o arco de alianças em torno da pré-candidatura de Mendes.

“Já reunimos com o PRB, na presença do deputado Sachetti. Já conversamos com outros partidos e vamos ter uma reunião com o PDT, do deputado Zeca Viana”, revelou frisando que o DEM ainda buscará o apoio do PSD, que possui o ex-vice-governador Carlos Favaro como pré-candidato ao Senado.

Mendes tem sido pressionado internamente para tomar uma decisão quanto a sua possível candidatura. Nos bastidos, a conversa é que lideranças do DEM estariam com receio de que a demora na definição pudesse atrapalhar a articulação política com outros partidos. Por isso, deram até o dia 30 para Mendes decidir.

“A unanimidade entre esses partidos, o que nos une de maneira geral, é que ninguém mais aceita e tolera esse desgoverno. Essa calamidade administrativa. Vamos fazer o que era para ter começado a ser feito há quatro anos, quando o governador Pedro Taques foi eleito”, declarou ontem Otaviano Pivetta, que se filiou no PDT.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:46 Lava Jato devolve mais de R$ 1 bi
19:46 BOA DISSONANTE
19:45 A Arca de Noé do século XXI
19:44 As amarras psicológicas
19:44 O valor da confiança


19:43 Atitude honrosa
19:42 Campanha nas ruas
19:41
19:40 Boca Musical traz 1ª Escola de Viena, em família de violinos
19:40 'Christopher Robin' é um filme encantador
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018