Segunda feira, 19 de agosto de 2019 Edição nº 14952 07/04/2018  










Anterior | Índice | Próxima

Curitiba vive um clima de suspense

FERNANDO CANZIAN
Da Folhapress – Curitiba

A decisão de prender o ex-presidente Lula em Curitiba e a demora em sua chegada trouxeram, além do suspense, um clima misto de "fim de caso" e de desilusão entre os que se beneficiaram das políticas do petista.

"Roubou, mas fez", resumiram juntas Benedita Alves, 66, e Jandira da Silva, 56, que hoje têm imóveis próprios graças ao Minha Casa, Minha Vida, pelos quais pagam R$ 80 por mês.

Diaristas, elas vivem com cerca de R$ 800 por mês, votaram em Lula e Dilma e escolheriam de novo o petista. "Tem um lado de coisas erradas, mas os outros nunca fizeram nada", diz Jandira.

Desde o lançamento em 2009, o programa entregou cerca de 3,5 milhões de moradias, 1/3 delas altamente subsidiadas, embora o Brasil siga com um déficit de 6 milhões de habitações.

Em 2013, o programa chegou a atingir R$ 14,3 bilhões do Orçamento, segundo a ONG Contas Abertas, e auditoria do Tribunal de Contas da União (TCU) encontrou problemas em construções e falta de escolas e postos de saúde no entorno.

Antes de Dilma Rousseff cair em 2016, o financiamento do Minha Casa, Minha Vida envolveu "pedaladas fiscais": o fundo do FGTS que o financia aportou um dinheiro a mais que seria da responsabilidade do Tesouro, que atrasou o reembolso.

Na educação, programas criados por Lula também tiveram problemas de financiamento e rombos, que acabaram agravando o atual quadro fiscal do país.

Mas eles também beneficiaram milhões de pessoas, o que ajuda a explicar o apoio ao ex-presidente, não necessariamente nos processos em que é acusado.

Casos de Jenifer Ribeiro, 17, e Lucas Emanuel, 18, que estudam em universidades privadas de Curitiba que custam R$ 1.500 por mês com bolsas integrais do ProUni.

"Não me lembro bem do governo dele, mas sei que a vida parecia melhor naquele período", diz Lucas, cujos pais trabalham e têm renda de R$ 2.800 por mês. Ele considera o processo contra Lula justo. "Mas acabou polarizando a corrupção em um lado só, o do PT."

Já a mãe de Jenifer está desempregada e vive de seguro-desemprego. "Se o STF tivesse dado o habeas corpus a Lula nesta semana, haveria um precedente para os demais condenados por corrupção", diz a estudante de jornalismo com a bolsa do ProUni.

IMPOSTOS

Nos dez anos desde a criação do programa, o governo deixou de arrecadar em impostos das instituições privadas de ensino que oferecem as vagas estimados R$ 8 bilhões, com a oferta de cerca de 2,5 milhões de bolsas, a maioria integral.

Outro programa para universitários, o Fies, de 2010, entrou em xeque depois que uma auditoria do TCU sustentou que o governo Dilma havia "escondido" uma dívida de R$ 3,1 bilhões com as faculdades, numa espécie de "pedalada" na educação.

O tribunal indicou que o rombo poderia chegar a R$ 20 bilhões no início da próxima década.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:14 MST joga tinta em prédio de Cármen
20:13 Curitiba vive um clima de suspense
20:13 Pedido de prisão de Lula foi precipitado, afirma Gilmar
20:13 Defesa vai à ONU para evitar a prisão de ex-presidente
20:12 Lula não sairá daqui de cabeça baixa


20:12 Lula deve se entrega após missa de Mariza
19:25 Marcelo Duarte desiste de concorrer
19:25 Desembargador suspende ação militar dos "grampos"
19:24 Taques diz que Rui Ramos assume se for necessário
19:24 Taques diz que Rui Ramos assume se for necessário
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018