Segunda feira, 19 de agosto de 2019 Edição nº 14952 07/04/2018  










CINEMA/CRÍTICAAnterior | Índice | Próxima

Krasinski entretém com inteligência e alguns sustos

THALES DE MENEZES
Da Folhapress – São Paulo

O ator John Krasinski ganhou alguma fama na versão americana da série "The Office", trabalhou em alguns filmes bons e baratos e, no mundo das celebridades, ganhou manchetes ao se casar com a indicada ao Oscar, bonita e boa atriz Emily Blunt. Agora, ele prova que pode ser um diretor interessante.

Seu "Um Lugar Silencioso" é um filme modesto no orçamento, mas ambicioso na proposta: situar sequências assustadoras e/ou angustiantes num ambiente sem som. No futuro imaginado no roteiro, os poucos sobreviventes numa Terra arrasada precisam ficar em completo silêncio.

O planeta foi invadido e quase todo mundo acabou devorado pelas criaturas primitivas que caíram na superfície. Os monstros são horríveis e letais, mas não têm visão nem olfato. Eles se guiam apenas pela audição. Ao escutar um mínimo ruído, partem para cima e já começam a mastigar.

Os sobreviventes aprendem e passam a evitar qualquer som. Entre eles, a família protagonista. O casal Lee e Evelyn Abbott é interpretado por Krasinski e Blunt, com um casal de filhos e outro ainda na barriga.

Eles moram numa fazenda, saqueando supermercados e lojas das cidadezinhas próximas desertas. E alguns monstrengos estão na área.

O pai faz trilhas cobertas de areia entre as casas da fazenda, para eliminar o barulho dos passos. Dentro de casa, marcas no chão indicam tábuas de assoalho que rangem e precisam ser evitadas.

Para que a comunicação entre eles possa ser entendida pela plateia, o roteiro é esperto ao inventar que a filha mais velha é surda e muda, fazendo todos conversarem por sinais, convenientemente legendados na tela.

Curiosidade: a filha Regan é interpretada pela expressiva adolescente Millicent Simmonds, que é surda desde a infância. A personagem leva uma boa parte do filme nas costas, em sua condição peculiar: não fala e assim não atrai os aliens, mas sua surdez também a deixa indefesa ao não ouvir a aproximação deles.

Este é o cenário inicial de uma série de desventuras enfrentadas pelos Abbott. Mais de uma vez, estarão com os alienígenas dentro de casa, a um passo de serem devorados.

O filme tem duas ou três sequências de tirar o fôlego. Principalmente quando a personagem de Emily Blunt fica sozinha com um monstro, um dos apuros mais bem bolados do cinema de suspense recente.

O fato de Evelyn estar grávida faz o espectador pensar o tempo todo como eles continuarão a se esconder com um recém-nascido chorão atraindo o perigo.

Pena que na meia-hora final a história perca o pique. A solução final não é das melhores e deve provocar reações ruins na plateia. Mas "Um Lugar Silencioso" já vai ter cumprido sua tarefa de entreter com inteligência por quase uma hora e meia, com alguns sustos. Já está bom.



UM LUGAR SILENCIOSO

(A QUITE PLACE)

DIREÇÃO John Krasinski

ELENCO Emily Blunt, John Krasinski, Millicent Simmonds

PRODUÇÃO EUA, 2018, 14 anos

QUANDO estreia na quinta (5)

AVALIAÇÃO bom



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:14 MST joga tinta em prédio de Cármen
20:13 Curitiba vive um clima de suspense
20:13 Pedido de prisão de Lula foi precipitado, afirma Gilmar
20:13 Defesa vai à ONU para evitar a prisão de ex-presidente
20:12 Lula não sairá daqui de cabeça baixa


20:12 Lula deve se entrega após missa de Mariza
19:25 Marcelo Duarte desiste de concorrer
19:25 Desembargador suspende ação militar dos "grampos"
19:24 Taques diz que Rui Ramos assume se for necessário
19:24 Taques diz que Rui Ramos assume se for necessário
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018