Terça feira, 20 de agosto de 2019 Edição nº 14943 24/03/2018  










CRIME ORGANIZADO Anterior | Índice | Próxima

Sindicato e casa são alvos de atentado

Crimes aconteceram na mesma semana em que houve um princípio de motim, com um morto e quatro feridos, na PCE

DINALTE MIRANDA/DC
A Penitenciária Central, em Cuiabá, é o principal foco de facções criminosas
JOANICE DE DEUS
Da Reportagem

A sede do Sindicato dos Servidores Penitenciários (Sindspen/MT) e a casa de um agente lotado no Setor de Operações Especializadas (SOE), em Cuiabá, foram metralhadas, entre a noite da última quinta-feira e o início da manhã da última sexta-feira (23). Os atentados aconteceram na mesma semana em que foi registrado um princípio de motim, com um morto e quatro feridos, na Penitenciária Central do Estado(PCE) e em que houve a divulgação de áudios com ameaças contra os servidores, feitas por supostos integrantes de uma facção criminosa.

Em ambos os casos, não houve feridos, mas, até o início da tarde de sexta-feira, os autores dos atentados não haviam sido identificados. A primeira ação criminosa aconteceu por volta de 21 horas de quinta-feira, quando a casa do agente L.M.A., no bairro Nova Conquista, região do Grande CPA, foi alvejada por 12 tiros de pistola 9 mm. À uma equipe da Polícia Militar (PM), que esteve no local, L.M. contou que estava dormindo quando ouviu um barulho de carro se aproximando e, em seguida, os disparos.

Nisso, ele ligou para a polícia e militares do 3° Batalhão foram até a residência, mas não foi possível identificar os criminosos ou o carro usado. Apesar do susto, o agente e uma senhora de 70 anos, que também estava na casa, não se feriram.

Nove horas depois, a sede do Sindspen, que fica na mesma região, também foi alvo de atentado. O crime foi registrado por volta das 6 horas e, pelo menos, 10 tiros de pistola atingiram o portão e duas viaturas que se encontravam no local.

As imagens das câmeras de monitoramento do sindicato flagraram o momento em que um veículo Prisma prata passa na frente do local e o condutor atira diversas vezes. Ainda na manhã, o vídeo com a ação começou a circular pelas redes sociais e mostrava o momento em um suspeito passa com o carro em baixa velocidade e atira várias vezes contra o imóvel.

Segundo depois, outras sete pessoas, que seriam agentes, saem do sindicato armadas e com coletes a prova de bala. Ninguém se feriu. As imagens foram entregues à polícia para ajudar na identificação dos criminosos. “A gente vê isso como uma retaliação ao trabalho bem feito que é sendo feito na Penitenciária Central. E, se é uma resposta ao vem sendo feito lá, obviamente, o Estado não tem por que retroceder. Nosso objetivo é manter a disciplina e a segurança dentro das unidades”, disse o presidente do Sindspen, João Batista Pereira.

Diante do ocorrido, as autoridades ligadas à Segurança Pública e ao Sistema Penitenciário do Estado permaneceram, praticamente toda a manhã de sexta-feira, reunidas. Em entrevista ao telejornal MTTV 2ª edição, da TV Centro América, os secretários Gustavo Garcia (Sesp) e Fausto Freitas (Sejudh) falaram sobre o assunto.

“Nós vamos continuar dando as respostas necessárias. Vamos continuar prendendo esses criminosos, como fizemos recentemente, quando deflagramos a Operação 10º Mandamento. E como fizemos em relação aos que mandavam mensagens para a Segurança Pública e à população. Nós prendemos esses criminosos. Vamos agir com firmeza para que a população tenha a tranquilidade necessária”, afirmou Garcia.

Freitas reforçou o trabalho que vem sendo feito para combater a atuação das facções. “É importante dizer que o que está acontecendo é um retorno de ações que a Segurança Pública e o Sistema Penitenciário estão fazendo, ao cobrarem rigor e ordem dentro e fora das unidades. A criminalidade se sente incomodada e a tendência é ter uma reação”, disse.

Segundo ele, o serviço de inteligência do Estado tem feito levantamento de informações para minimizar os riscos aos agentes e à própria população. Os atentados serão investigados pela Gerência de Combate ao Crime Organizado (GCCO) da Polícia Judiciária Civil.

MOTIM - No início desta semana, o preso Jesuíno Cândido da Cruz Júnior, que era integrante do Comando Vermelho (CV), morreu após um princípio de motim, na PCE. Depois do fato, vários áudios em que integrantes da facção criminosa ameaçam matar agentes começaram a circular na internet.

“E aí, gurizada de responsa memo. Vou passar a visão. O baguio (sic) tá ‘loko’ dentro da penitenciária. Os agentes sem-vergonha mataram um mano nosso e atingiram outros 40. Se esses desgraçados estiverem moscando na quebrada, já foi passado o salve geral, pode passar geral", diz um trecho dos áudios. A Polícia Civil investiga se os disparos têm relação com as mensagens gravadas.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:02 Pedro Taques é empossado presidente
19:02 PTB se reúne hoje de olho em engrossar oposição
19:02 Mais cinco deputado são investigados
19:01 Apoio a Wellington ameaça esquerda
18:59 BOA DISSONANTE


18:58 Ex-líder do governo, critica criação de fundo de estabilização
18:57 O ministro da saúde e o placebo
18:56 O impacto das fake news nas eleições
18:56 A dimensão de Jesus
18:55 De isonomia
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018