Quarta feira, 26 de junho de 2019 Edição nº 14936 15/03/2018  










APARTAMENTOSAnterior | Índice | Próxima

Vendas movimentaram cerca de meio bilhão

Em 2017, cerca de 1.190 apartamentos foram comercializados em Cuiabá, movimentando R$ 500 milhões

ARQUIVO
O mercado imobiliário em Cuiabá movimentou em 2017 o correspondente a R$ 500 milhões
MARIANNA PERES
Da Editoria

O mercado imobiliário em Cuiabá movimentou em 2017 o correspondente a R$ 500 milhões somente com a venda de apartamentos que somaram 1.190 unidades (construções verticais). Os dados são da quarta pesquisa relativa a 2017 do Censo Imobiliário de Cuiabá e Várzea Grande, levantamento encomendado pelo Sindicato das Indústrias da Construção do Estado de Mato Grosso (Sinduscon/MT).

O cenário otimista em 2017 comprovado pelos dados também se desenha para o mercado de imóveis em 2018. A capital mato-grossense conseguiu manter um nível ritmo de lançamentos e reduzir a oferta disponível de imóveis prontos para morar.

O levantamento indica que o mercado regional na Grande Cuiabá vem de uma ascendente em vendas desde o início do ano, principalmente em Cuiabá, impulsionado pelo mercado econômico, mas também por outros mercados. A análise geral da concorrência indica uma disponibilidade de 4.967 imóveis na Grande Cuiabá, sendo 3.190 só de apartamentos nas duas cidades, o correspondente a 64,22% da oferta disponível. Entretanto, se for considerado a média geral da oferta lançada em Cuiabá é de 20% e em Várzea Grande, 19%.

Realizada pela Brain, empresa especializada em pesquisas do mercado imobiliário no país, a pesquisa acompanha trimestralmente o comportamento do mercado imobiliário na Grande Cuiabá, verificando preços, estoque de produtos por região, volume de vendas e padrões disponíveis. Trata-se de um produto do sindicato voltado para o construtor associado com a proposta de ser uma ferramenta estratégica para o planejamento de investimentos e exploração de nichos de mercado.

Na análise do consultor Guilherme Werner, da Brain, em termos de vendas, Cuiabá e Várzea Grande apresentaram um crescimento considerável ao longo do terceiro e quarto trimestre, impulsionados pelo cenário econômico nacional e por características regionais.

“Esse resultado nos faz acreditar que as vendas vão continuar subindo em 2018 motivado pela retomada da confiança do empresário e do consumidor e, principalmente, pela redução das taxas de juros, que por sua vez faz com que o investidor imobiliário volte para o mercado. Com a Selic alta, o investidor estava fora do mercado porque as taxas moderadas em bancos eram muito maiores que percentuais de aluguel, por exemplo. A principal engrenagem para este ano pela retomada será uma Selic mais baixa”, esclarece Werner.

“Temos um cenário positivo e muito apropriado para aquisição de imóveis, pois temos um mercado com oferta de produtos em vários segmentos e padrões com preços justos. Fechamos 2017 com mais lançamentos do que 2016 e é importante que essa facilidade de acesso financiamentos permita que mais pessoas tenham interesse na compra de imóvel seja para moradia ou para investimento”, analisa o presidente da Comissão da Indústria Imobiliária do Sinduscon/MT, Paulo Bresser.

E é essa facilidade maior de acesso a crédito imobiliário que atrai o público que prefere imóveis do padrão econômico. Isso explica a maior velocidade de vendas em 2017 foi para unidades habitacionais de padrão econômico (até R$ 180 mil) do Minha Casa, Minha Vida (MCMV), programa habitacional do governo federal. “Isso deve se repetir este ano porque é um perfil de consumo da região”, analisa o consultor da Brain. “Regiões onde o agronegócio predomina, como é o caso de Cuiabá, há um mercado mais resiliente, especialmente no momento mais crítico da situação socioeconômica do país”.

Outras condições que dão essa nuance a Cuiabá são a grande absorção pelo público consumidor de unidades horizontais de lotes abertos, casas em condomínios e lotes em condomínios fechados que apresentam uma disponibilidade de apenas 10% para Cuiabá. “Esse segmento é um grande propulsor da retomada da compra de imóveis em 2018”, completa.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:42 Justiça manda soltar o cabo Gerson
19:42 Leonardo Albuquerque é o novo líder do Governo
19:42 PSDB se reúne na sexta e tenta manter DEM unido
19:41 Mauro Mendes filia no DEM dia 23
19:14 Estados produtores mantém boas expectativas


19:13 Vendas movimentaram cerca de meio bilhão
18:42 Morre o físico Stephen Hawking
18:41 Mendes suspende cumprimento de pena
18:41 Documentos diz que Aécio não informou R$ 6,6 milhões
18:41 Estou pronto para ser preso, afirma Lula em livro
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018