Segunda feira, 18 de junho de 2018 Edição nº 14921 22/02/2018  










DIVIDIDOSAnterior | Índice | Próxima

Três blocos são formados na Assembleia Legislativa

Da Reportagem

No ultimo ano desta legislatura, os deputados estaduais optaram por se dividir em três blocos. A intenção é deixar claro o posicionamento de cada parlamentar, tendo em vista a proximidade do pleito eleitoral.

Os requerimentos à Mesa Diretora com a composição dos blocos foram entregues na sessão vespertina da última terça-feira (20). Além dos blocos Integração e o Oposição, que já existiam no Parlamento Estadual, surge também o grupo Independente.

A definição da criação dos blocos é necessária para nomeação de membros nas comissões permanentes da Casa de Leis. A medida ainda não foi chancelada, uma vez que os deputados Wagner Ramos (PSD) e Wancley Carvalho (PV) assinaram a criação tanto do bloco da base governista quanto do bloco independente.

O deputado Dilmar Dal Bosco (DEM), líder do Integração, apresentou 14 assinaturas de deputados para compor o bloco da base do governo estadual. Porém, Wagner Ramos e Wancley Carvaho (PV), também tinham assinado o requerimento do bloco Independente.

“Os deputados Wagner Ramos e Wancley Carvalho já protocolaram a desistência do bloco Independente e vão continuar no Integração. Assim, confirmamos 14 deputados e ainda esperamos que mais alguns colegas se juntem ao grupo”, afirmou o líder do bloco e do governo na Assembleia Legislativa de Mato Grosso (AL).

A deputada Janaina Riva (MDB) apresentou à Mesa a composição do bloco Oposição, composto pelos deputados Valdir Barranco (PT), Allan Kardec (PT), Zeca Viana (PDT) e pela parlamentar. “Vamos nos manter na oposição com o respaldo da população. Não temos meio termo”, destacou em plenário.

O deputado Oscar Bezerra (PSB) confirmou a presença de oito assinaturas no bloco denominado Independente e disse que não foi informado da desistência ou alteração de nenhum membro.

Como a conta não fecha, o presidente Eduardo Botelho (PSB) solicitou que os deputados que estiverem em dois grupos manifestem seus posicionamentos.

É a partir da formação das bancadas que as comissões permanentes são estruturadas. No total, a Casa de Leis possui 13 comissões permanentes divididas em quatro núcleos, sendo que cada uma delas possui cinco membros titulares e cinco membros suplentes.

O preenchimento das cadeiras nas comissões é feito por blocos de maneira proporcional ao número de integrantes do grupo. Ou seja, quanto mais deputados um bloco possui, mais vagas ele terá em cada comissão. (KA)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:31 PF quer 144 novos inquéritos em MT
19:31 Selma Arruda terá segurança privada
19:31 José Celso Dorileo vai para Controladoria Geral do Estado
19:30 BOA DISSONANTE
19:30 Emanuel Pinheiro diz que foi ‘armadilha’


19:29 A Copa política e o patriotismo
19:29 Zuquim mantém Savi preso
19:28 De volta ao G4
19:28 Mercado, Estado e 2018
19:28 O fim do foro privilegiado
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018