Sábado, 20 de outubro de 2018 Edição nº 14915 10/02/2018  










ELEIÇÃO 2019Anterior | Índice | Próxima

‘Mauro é companheiro’, responde Taques

Após receber críticas sobre sua gestão, Pedro Taques disse que as criticas do ex-prefeito são bem-vindas

JL MEDEIROS/GCOM
Governador Pedro Taques, ontem durante evento na Central de Comercialização da Agricultura Familiar em Várzea Grande
PABLO RODRIGO
Da Reportagem

O governador Pedro Taques (PSDB) evitou rebater as críticas feitas pelo ex-prefeito de Cuiabá Mauro Mendes (sem partido) sobre a sua gestão frente ao governo do Estado. De acordo com o tucano, Mauro é um “companheiro” e críticas são “bem-vindas”. “É a opinião do Mauro e precisa ser respeitada. Quem sou eu pra criticar os outros. Sou o governador e mereço ser criticado”, disse o governador durante evento na Central de Comercialização da Agricultura Familiar em Várzea Grande.

O tom apaziguador do tucano é em resposta as declarações de Mauro Mendes que criticou a postura do governador que vem culpando a crise econômica por causa da situação do Estado. “Esse discurso é prática de quem não realizou o dever de casa”, disse Mendes.

“Na democracia toda crítica é salutar. Mauro é nosso companheiro e ele tem direito a fazer críticas, sim. E obrigado pelas críticas. Tentaremos consertar se, por ventura, tenhamos algum erro”, complementou o governador.

O secretário-chefe da Casa Civil Max Russi (PSB) também evitou polemizar com o ex-correligionário. “Sei que estamos em um momento de dificuldade, fazendo todos os ajustes necessários. O Governo tem cortado na carne, em custeios - e cortado muito. Mas vamos continuar desse jeito: respeitando as críticas principalmente do Mauro, que é um companheiro do Governo e ajudou na eleição do governador Pedro Taques”, disse Russi.

Sobre uma possível candidatura do seu ex-coordenador de campanha, Taques disse que qualquer pessoa pode disputar as eleições se cumprir a constituição. “Quem conseguir cumprir os requisitos do artigo 14 da Constituição pode ser candidato se quiser. É um direito de todos". Taques também evitou falar em um possível rompimento de Mauro Mendes e se isso seria uma “traição” ao grupo. “Não vejo como traição. Mas só vou falar de eleição depois de comer canjica”, afirmou o chefe do Poder Executivo.

Já Mauro Mendes classifica uma possível acusação de “traidor” como “conversa pra boi dormir”. “Estou muito tranquilo para tomar uma decisão. Essa conversa fiada que falam de traição, é conversa pra boi dormir. O cidadão que votou em 2014 no Pedro Taques, votou por quatro anos, quem apoiou também foi por quatro anos”, afirmou.

Enquanto Taques afirma que só iniciará as discussões sobre sua candidatura a reeleição, Mendes garante que se filiará a um novo partido até março para assim definir se disputa o pleito de 2018 ou não.

As últimas declarações de Mendes aumenta as especulações nos bastidores de uma possível candidatura ao Palácio Paiaguás.

Desde o final do ano passado, o nome de Mauro Mendes vem ganhando força como possível alternativa para a oposição em Mato Grosso. DEM, e PP já sondaram Mendes para uma possível filiação e candidatura ao governo.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto

· Companheiro de quem?   - Luiz Carlos




19:16 IMAC apresenta inovação no segmento da carne em feira internacional
19:15 Sindicalista afirma que novo governo será ‘sombrio’
19:15 Após ir a casa noturna Cabo Gerson volta para prisão
19:14 Segundo Malouf, secretários recebiam ‘complemento’ salarial
19:14 STF derruba sigilo da delação de Malouf


18:25 Implantação de Jardim Botânico deve começar
18:25 BOA DISSONANTE
18:24 Fake News
18:24 Cultura, ética e profissionalismo
18:23 Respeitando as diferenças
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018