Terça feira, 22 de outubro de 2019 Edição nº 14913 08/02/2018  










EXPORTAÇÕESAnterior | Índice | Próxima

Milho puxa vendas em janeiro de MT

Da Reportagem

Com o milho puxando o ritmo das vendas, Mato Grosso abriu o ano de 2018 contabilizando o segundo melhor resultado para o mês da série histórica do Ministério da Indústria, Comércio Exterior e Serviço (MDIC). Dados divulgados ontem mostram que a receita do primeiro mês do ano somou US$ 890,27 milhões, cifras abaixo apenas dos mais de US$ 1,01 bilhão.

Na comparação anual há incremento de 26% em relação ao saldo contabilizado em igual momento do ano passado, quando a receita foi de US$ 705,23 milhões.

O cereal respondeu por quase 45% do total contabilizado pelo comércio exterior mato-grossense. Dos mais de US$ 890 milhões, US$ 399,28 milhões vieram desses embarques. Na comparação entre janeiro de 2018 e 2017, houve alta de 116,13% nos negócios. Em volume foram 2,57 milhões de toneladas contra 1,11 milhão do ano passado. A safra histórica de 2017, com mais de 30,45 milhões de toneladas tem sustentado a demanda externa.

A soja em grão, que diferente do ano passado vai registrando colheita mais lenta na comparação anual, é apenas o quinto produto mais vendido da pauta e apresenta queda de 35% no faturamento. Em janeiro foram faturados US$ 67,26 milhões com a movimentação física de 176,81 mil toneladas. Com esse desempenho o grão participa com pouco mais de 7% da receita total de janeiro. Há um ano, 255,58 mil toneladas haviam sido embarcadas pelo Estado.

A frente da soja na pauta estadual estão, além do milho, as vendas de óleo de soja (-32,58%), algodão (103,73%) e as carnes desossadas de bovino congeladas (15,36%).

Se o milho lidera as vendas, há alteração entre os principais destinos da pauta estadual nesse começo de ano, sai a China e entra o Irã, país que mais comercializou com Mato Grosso em janeiro, respondendo por 18% das divisas totais. Foram US$ 155,14 milhões em negócios.

Entre os cinco maiores destinos das exportações do Estado estão Irã, a China US$ com 72,97 milhões, Países Baixos (Holanda) com US$ 44,43 milhões, Espanha com outros US$ 44,13 milhões e Hong Kong com US$ 37,20 milhões. (MP)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:38 Mauro Mendes critica falta de planejamento de Taques
18:38 15 votam para arquivar sindicância
18:38 Governo paga funcionalismo hoje
18:37 Cheques complicam defesa de Prefeito
18:15 BOA DISSONANTE


18:14 Lula ainda lidera em todos os cenários
18:13 Tire o “s” da crise
18:13 Cibercrime
18:13 A nova novela das oito!
18:12 Prata da casa
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018