Sábado, 16 de fevereiro de 2019 Edição nº 14907 31/01/2018  










QUADRINHOSAnterior | Índice | Próxima

Morre Mort Walker, criador de 'Recruta Zero'

Da Folhapress

Criador da tirinha "Recruta Zero", o cartunista Mort Walker morreu neste sábado (27), aos 94 anos, na cidade de Stamford, em Connecticut, nos Estados Unidos.

A causa de sua morte foi pneumonia, segundo Bill Morrison, presidente da Sociedade Nacional de Cartunistas dos EUA. As informações são do jornal "The Washington Post", que também chama Walker de o cartunista mais longevo do país: ele desenhou as tirinhas por 68 anos.

"Recruta Zero", criação mais conhecida de Walker, gira em torno de um bando de soldados preguiçosos e ineficientes que vivem num acampamento militar cuja localização o Pentágono perdeu.

O personagem principal circula com os olhos sempre ocultos debaixo de um quepe ou de um capacete. Ele tem como superior imediato o briguento sargento Tainha.

O cartum, uma sátira contra o autoritarismo, começou a circular em 1950 e atingiu 200 milhões de leitores por meio de 1.800 jornais de mais de 50 países, como o Brasil. Hoje, é publicada pelo jornal "O Estado de S. Paulo".

Segundo dois de seus filhos, Greg e Brian, a tirinha "Recruta Zero" não será descontinuada. Eles, que eram assistentes do pai, continuarão a desenhá-la.

EXPERIÊNCIA NA GUERRA - Terceiro filho de um arquiteto e de uma ilustradora, Addison Morton Walker nasceu em 1923, no Estado do Kansas. Costumava acompanhar a mãe em Redações de jornal e, aos 12, passou a assinar as próprias tirinhas em revistas.

Convocado a servir o Exército americano em 1942, durante a Segunda Guerra, Mort Walker foi responsável por dirigir um campo de prisioneiros alemães na Itália. Ele costumava dizer que essa experiência de quase quatro anos o havia inspirado a criar "Recruta Zero", cinco anos depois do fim do conflito.

Quatro anos após lançá-la, Walker criou a tirinha "Hi & Lois", sobre uma família suburbana. Embora bem-sucedida, não ofuscou a criação mais conhecida de Walker.

Durante a sua trajetória, o cartunista foi um dos grandes defensores da atividade . Em 1974, ele arrecadou fundos para a criação do primeiro museu destinado ao gênero, na cidade de Greenwich, no Estado de Connecticut.

Walker também presidiu a Sociedade Nacional dos Cartunistas dos Estados Unidos.

Ele deixa a segunda mulher, os sete filhos do primeiro casamento e, como costumava brincar, um acervo com 8.000 piadas inéditas.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




20:06 Taques diz que vai buscar outra solução
20:05 Investigada, cervejaria ainda mantém incentivo fiscal
20:04 Sindicato aperta o cerco na cobrança
18:37 Suspeito na morte de major da Polícia Militar é preso
18:37 Jovem é assassinada pelo namorado dentro de casa


18:36 Justiça solta integrantes de quadrilha que sonegou imposto
18:34 BOA DISSONANTE
18:34 MP contra soltura de Arcanjo
18:33 TJ não aceita proposta do governo
18:31 A linguagem da internet
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018