Domingo, 17 de fevereiro de 2019 Edição nº 14892 10/01/2018  










JUSTIÇA ELEITORALAnterior | Índice | Próxima

Eleitores reclamam de fila para realizar biometria

ALINE ALMEIDA
Da Reportagem

Há menos de um mês para terminar o cadastramento biométrico - obrigatório em algumas cidades de Mato Grosso – os eleitores estão tendo que enfrentar longas filas para realizar o procedimento. O número limitado de senhas tem feito com que as reclamações aumentem entre aqueles que deixaram o cadastramento para a última hora.

Dados do Tribunal Regional Eleitoral apontam que atualmente, dos 2.263.209 eleitores cadastrados em Mato Grosso, 820.166 já passaram pela coleta de dados biométricos, o que representa 36,24% do total.

Em Cuiabá, cidade onde a biometria é obrigatória, dos 414.691 eleitores, 148.286 já fizeram a biometria (35,76%). Em Várzea Grande, que conta com 184.274 eleitores, foram cadastrados os dados biométricos de 83.767, o que equivale a 45,46% do eleitorado. E em Sinop, dos 93.774 eleitores, 59.480 já fizeram a biometria (63,43%).

O prazo para o cadastro segue até o dia 02 de fevereiro. A expectativa é de que o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral amplie este prazo até o final de abril. O servidor público do Indea Max Campos esteve no posto do Shopping Goiabeiras para o procedimento. Segundo ele, desde as sete da manhã estava na fila e só às 10 horas teve a distribuição das senhas. Os amigos que o acompanharam desistiram de fazer o cadastro.

“Isso é vergonhoso, pois além de perder um longo tempo muitos terão de sacrificar a hora do almoço e ir trabalhar no período da tarde! 50 senhas e muito pouco para uma cidade com mais de 500.000 habitantes. Na casa da democracia a mesma coisa. Alguma providência o TRE/MT deve tomar a fim de dar celeridade e dignidade aos cidadãos que somente querem cumprir seu dever cívico que infelizmente é obrigatório”, disse.

O conferente Rodrigo de Almeida também teve que abdicar um dia de trabalho para realizar o cadastramento biométrico em Várzea Grande. Ele confirma que já esteve por duas vezes na unidade da cidade para realizar a biometria, mas diante da quantidade de pessoas teve que desistir. “Cheguei às seis da manhã e peguei a senha de número 70. Começou o atendimento às 8 horas. Na verdade eu perdi toda manhã para fazer a biometria”, disse.

Segundo o Tribunal Regional Eleitoral a biometria está acontecendo em Cuiabá desde o ano de 2015. Em fevereiro de 2017 tornou-se obrigatória, quando o Pleno do Tribunal Regional Eleitoral aprovou a realização de revisão do eleitorado de Cuiabá.

Contudo, até setembro de 2017, pouco mais de 20% dos eleitores haviam comparecido, o que deixou parcialmente ociosa a estrutura montada na Casa da Democracia, durante quase todo o ano de 2017. “Este comportamento dos eleitores provocou um acúmulo da demanda para os últimos meses da revisão, que tem previsão de encerramento para fevereiro deste ano”, confirma.

Devido ao alto volume da demanda, a Justiça Eleitoral ressalta a necessidade de atender o eleitor com distribuição de senhas, nestes três municípios – Cuiabá, Várzea Grande e Sinop. O limite das senhas é definido de acordo com a capacidade diária de atendimento.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:01 Decreto reduz valores para parcelamento do IPVA
19:00 Dal Bosco vai entregar liderança
18:59 Otaviano Pivetta descarta candidatura em outubro
18:58 Naco investiga Silval com Petrobras
18:57 Salário sai para 65% dos servidores


18:56 Mulher morre e outros dois ficam feridos em colisão
18:56 Quatro são presos por crime ambiental na Guia
18:55 Irmão de sequestrador de empresária é preso com armas
18:54 Encontrado corpo de servidora desaparecida
18:52 Sétima licença de Ledur termina sábado
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018