Sexta feira, 28 de fevereiro de 2020 Edição nº 148893   










PARADA HÁ MAIS DE 1 ANOAnterior | Índice | Próxima

Sétima licença de Ledur termina sábado

ARQUIVO
Tenente do Corpo de Bombeiros, Izadora Ledur de Souza Dechamps: mais de um ano de licença
RAYANE ALVES
Da Reportagem

A sétima licença da tenente do Corpo de Bombeiros, Izadora Ledur de Souza Dechamps, termina no próximo sábado.

Ledur está afastada da função há mais de um ano desde que foi acusada da morte do aluno Rodrigo Patrício Lima Claro, de 21 anos, que passou mal durante um treinamento aquático, em novembro de 2016, no 16º Curso de Formação de Soldado Bombeiro, na Lagoa Trevisan, em Cuiabá. Todos os atestados foram apresentados como forma de prorrogar o julgamento.

Conforme os bombeiros, a primeira licença que a tenente conseguiu foi entre os dias 25 e 24 de dezembro de 2016. Já a segunda foi apresentada para novo tratamento psicológico entre 9 e 15 de março de 2017, com o terceiro documento já garantida a próxima licença para os dias 20 de março a 18 de maio. A quarta licença foi nos dias 15 de maio e 17 de junho e a quinta autorizada a tenente poderia se ausentar mais de uma vez das atividades no período de 18 de julho a 15 de outubro. A sexta licença recebida pela corporação, Ledur ficou afastado de 18 de julho a 15 de outubro.

Já o último atestado foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE), para que a tenente ficasse afastada das funções de 16 de outubro de 2017 a 13 de janeiro de 2018.

Durantes as licenças de Ledur, a defesa da família Claro comentou que os procedimentos médicos seriam para ganhar tempo.

DEPOIMENTO - No próximo dia 26 de janeiro, Ledur deve prestar depoimento na sala da juíza da 7ª Vara Criminal de Cuiabá, Selma Rosane Arruda.

Além da tenente, que era a responsável pelo treinamento, também foram intimados a depor os réus: tenente-coronel Marcelo Augusto Revéles Carvalho, o tenente Thales Emmanuel da Silva Pereira, os sargentos Diones Nunes Sirqueira e Eneas de Oliveira Xavier e ainda o cabo Francisco Alves de Barros.

Já as oitivas das testemunhas irão ocorrer por meio das cartas precatórias, pois os mesmos moram em outras cidades do Estado.

CASO – Rodrigo era aluno do 16º Curso de Formação de Soldado Bombeiro de Mato Grosso. A morte dele foi registrada no dia 15 de novembro de 2016, quando ele passou mal durante aula prática de primeiros-socorros aquáticos na Lagoa Trevisan, na Capital. Ledur neste dia, era a responsável pela instrução das aulas.

Em uma denúncia oferecida pelo Ministério Público (MPE), o órgão entendeu que a vítima apresentou dificuldades para desenvolver as atividades de flutuação, nado livre e outros exercícios, já que a tenente usou métodos abusivos no treinamento com intenção de puni-lo. Por conta disso, Ledur foi afastada das atividades porque apresentou na Justiça sete atestados médicos para tratamento de depressão, desde em que o caso foi registrado.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




16:53 Justiça livra Júlio Campos da acusação de assassinato
16:53 Primeira-dama assume presidência de honra do Fundo Social de Mato Grosso
16:49 MT ingressa com ação no STF para evitar perda de R$ 80 milhões
16:48 PSDB lança pré-candidatura de Nilson Leitão
16:48 TJMT aprova em plenário a abertura de 9 vagas para desembargadores


16:47 Saint Laurent, na Semana de Moda em Paris, traz roupas para tirar selfie e se jogar
16:46 Atores de Sintonia, série de KondZilla, contam o que esperam para a 2ª temporada da produção
16:44 Steven Spielberg não vai dirigir Indiana Jones 5
16:43 O Homem Invisível atualiza estilo de Hitckcock em suspense enérgico
16:42 ‘A Hora da Sua Morte’ desafia o conceito da existência
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018