Domingo, 22 de abril de 2018 Edição nº 14876 13/12/2017  










SEM PARTIDOAnterior | Índice | Próxima

Dissidentes do PSB ainda não decidiram para onde vão

Da Reportagem

Mais uma reunião dos “dissidentes” do PSB em Mato Grosso terminou sem consenso sobre o rumo que o grupo de deputados federais, estaduais, prefeitos, vereadores e demais lideranças deverão tomar em um novo partido. De acordo com o presidente da Assembleia Legislativa (ALMT), deputado Eduardo Botelho (PSB), uma parte do grupo já defende a filiação em uma sigla pequena.

“A reunião não teve consenso ainda sobre o rumo que devemos tomar. O problema continua sendo para qual partido migrar. Alguns já estão defendendo que a única solução seria ir para um partido pequeno. Mas isso também não deu consenso. Mas uns apontaram o PPS, outros o PRB, mas nada definido ainda”, disse Botelho sobre reunião de ontem (11) a noite.

Botelho explicou que a escolha da nova legenda pelo grupo leva em consideração a ausência de problemas regionais, como as disputas locais. “Precisamos encontrar um partido que não tenha conflitos regionais com os nossos deputados”, disse.

“Esse é o maior problema. No caso do DEM é esse o motivo para a indefinição. O DEM tem problemas locais com alguns deputados nossos. Esses conflitos locais, onde são oposição ou adversários. Então, isso é um problema que estamos levando em consideração”, completa Botelho.

Apesar disso, o chefe do Poder Legislativo mato-grossense acredita que ainda é possível resolver esses problemas locais. “Não é impossível resolver esse problema (com o DEM). É preciso dialogar, até porque os deputados ainda precisam esperar a janela partidária. Quando isso se aproximar, o diálogo será com mais frequência e tudo vai se ajeitando”, pontuou.

Para abrigar dezenas de parlamentares socialistas de todo o Brasil, o Democratas se dispôs a dissolver todos os diretórios estaduais e municipais e acomodar as bases políticas dos futuros filiados.

A debandada dos dissidentes do PSB é resultado do descontentamento da cúpula do partido em Mato Grosso com a executiva nacional. O imbróglio começou em março deste ano quando Fabio Garcia contrariou a orientação partidária e votou favoravelmente a reforma trabalhista defendida pelo presidente da República Michel Temer (PMDB).

A divergência no Congresso levou a direção nacional do PSB a destituir Garcia da presidência do PSB em Mato Grosso e nomear em seu lugar o também deputado federal Valtenir Pereira, que retornou á sigla após passar quatro anos fora da sigla.

Participaram da reunião os deputados estaduais Mauro Savi, Oscar Bezerra, Adriano Silva, o deputado federal Fábio Garcia, o chefe da Casa Civil, Max Russi, além de prefeitos, vereadores e lideranças políticas.(PR)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:42
18:41 Botelho quer limpar a pauta na próxima semana
18:41 Pedro Taques chama Otaviano Pivetta de preconceituoso
18:41 Emanuel busca harmonia após saída de Niuan do partido
18:40 Juiz condena Wilson Santos a ressarcir o erário


18:40 Cirurgias devolvem visão a milhares
17:42 Cabral vira réu pela 23ª vez
17:42 Dodge falta à cerimônia de Temer
17:41 Ministério Público suíço mantém R$ 2,8 bi confiscados
17:41 MP abre inquérito para investigar Alckmin
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018