Quarta feira, 13 de dezembro de 2017 Edição nº 14873 07/12/2017  










CÂMARA FEDERALAnterior | Índice | Próxima

FEX é aprovado e MT receberá meio bilhão

Agora o projeto de Lei será enviado ao Senado Federal para votação, e logo em seguida vai para sanção presidencial ainda em dezembro

Agência Câmara
O presidente da Câmara dos Deputados Rodrigo Maia (DEM/RJ) cumpriu o acordo em votar o FEX
PABLO RODRIGO
Da Reportagem

Enfim a Câmara Federal aprovou o projeto de Lei 8965/2017 de autoria do Poder Executivo, apensado ao projeto 8132/2017 que era de autoria do Senado Federal, que tratam do repasse do Auxílio Financeiro para Fomento das Exportações (FEX) de 2017 aos Estados e Municípios. Com isso, a União repassará cerca de R$ 1,9 bilhão serão enviados aos caixas dos estados exportadores. Agora o projeto vai ao Senado para votação, e, sendo aprovado, irá para sanção do presidente da República Michel Temer (PMDB).

Dos R$ 1,9 bilhão referente ao FEX para Estados e municípios, Mato Grosso terá direito a cerca de meio bilhão. Sendo R$ 400 milhões para o Estado e R$ 100 milhões para os 141 municípios.

Com isso, o governo deverá descartar o escalonamento salarial, estratégia que foi adotada nos meses de outubro e novembro, quando foi quitado apenas no dia 21.

O secretário de Estado de Fazenda, Gustavo Oliveira, já avisou que os pagamentos salariais aos servidores públicos dependem também do potencial de arrecadação financeira na primeira quinzena deste mês.

“Teremos certeza do cenário de quarta para quinta-feira, com definições do FEX e de como se comportou a receita estadual. A programação do Tesouro é encerrar a folha antes do dia 20 com receitas próprias. Tudo isso depende de como vai estar a folha e como vai estar a despesa deste mês. Essa é a projeção”, disse.

Durante a votação, várias lideranças partidárias reclamaram da Lei Kandir, alegando que a União repassa apenas 12% do total exportados pelos Estados brasileiros.

O líder da bancada federal mato-grossense, deputado Victório Galli (PSC), lembrou que o Estado é o maior produtor de grãos do País, e que esse recurso aliviará o caixa do governo Taques.

Pedro Taques esteve nas últimas semanas em Brasília juntamente com a bancada federal, tentando destravar a votação do FEX. A votação da urgência do projeto chegou a ser cogitada na semana passada. Porém, duas medidas provisórias travaram a pauta.

O FEX é uma compensação financeira paga aos Estados exportadores depois que a Lei Kandir isentou o Imposto sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS) dos produtos e serviços destinados à exportação.

Em contrapartida a União tem a obrigação de repassar o FEX aos Estados que deixam de ganhar com as exportações.

LEI KANDIR - A Lei Kandir foi aprovada pelo Congresso Nacional em 1996, durante o governo Dante de Oliveira, e desonera os produtos destinados à exportação de pagarem Imposto Sobre Circulação de Mercadorias e Serviços (ICMS). Desde 1996, Mato Grosso deixou de arrecadar, segundo o governador, R$ 38 bilhões. Uma comissão especial do Senado estuda alterações na lei e é presidida pelo senador Fagundes.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:55 Juiz se declara incompetente para conduzir ação penal
19:55 Assembleia aprova lei orçamentária em 1º turno
19:55 Câmara aprova recriação de Secretaria extraordinária
19:54 FEX deve ser votado hoje no Senado
19:54 Dissidentes do PSB ainda não decidiram para onde vão


19:54 Trabalhos da CPI causa desentendimento entre vereadores
19:53 Lucimar Campos tem 80% de aprovação
19:30 Lei que autoriza fechamento de ruas é aprovada na Câmara
19:30 BOA DISSONANTE
19:29 O paracetamol e os riscos à sua gravidez
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015