Sábado, 20 de julho de 2019 Edição nº 14820 15/09/2017  










PARALISAÇÃOAnterior | Índice | Próxima

Greve dos servidores do Detran entra no 5º dia

Da Reportagem

A greve dos servidores do Departamento Estadual de Trânsito (Detran)/MT) chega, hoje, no quinto dia seguido sem perspectiva de avanço nas negociações. A categoria cruzou os braços para cobrar reajuste da tabela salarial, que estaria defasada há seis anos. O governo do Estado alega dificuldade econômica para atender à reivindicação.

“Não houve apresentação de contraposta ainda e por isso permanecemos em greve”, afirmou a presidente do Sindicato dos Servidores do órgão (Sinetran/MT), Daiane Renner. A adesão ao movimento grevista ocorre em todas as 71 unidades do Detran. “Estamos solicitando um padrão de tabela que já é executado nas demais categorias do Estado”, destacou a sindicalista.

Renner explica que a reivindicação da categoria é pela implantação de uma tabela completa para os quatro cargos que compõem a carreira do órgão, sendo eles, advogado do Detran, analista, agente e auxiliar do serviço de trânsito.

“Nós, estamos numa situação que (por exemplo), o nosso nível superior recebe menos que o nível médio de outras carreiras. Já o nosso nível médio recebe menos que o pessoal que tem o ensino fundamental de outras carreiras. Então, têm alguns cargos mais defasados que os outros”, citou.

No início da semana, o governador Pedro Taques em entrevista à uma rádio local informou que o Estado pretende cortar o ponto dos grevistas caso a Justiça considere o movimento ilegal. Para o governador, o cidadão mato-grossense não pode ser prejudicado. Além disso, ele destaca que o servidor em estágio probatório não pode fazer greve, sendo que o órgão conta com cerca de 200 profissionais convocados há apenas quatro meses.

O concurso público não é pauta neste momento do movimento, mas há uma pendência referente a nomeação. Até agora, segundo Renner, foram convocados apenas 170 aprovados, sendo que ao todo são 489 nomeações previstas.

A decisão de paralisar as atividades por tempo indeterminado foi tomada pela categoria porque depois de oito meses de notificações e quatro de mesa de negociação com a Casa Civil e Secretaria de Gestão, o Governo negou o reajuste reivindicado e não apresentou proposta sob a alegação de dificuldades financeiras.

Em Mato Grosso, o Detran possui cerca de 930 servidores. O movimento grevista afeta serviços como banca examinadora, emissão de documentos e pagamento de taxas. (JD)



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




18:08 MT Prev arrecada R$ 1,3 bilhão a menos que o necessário para pagar aposentados
18:07 Eleição para prefeito em Cuiabá divide tucanos
18:07 Governo conclui pagamento da folha de junho
18:06 Jovem agride ex-companheira em delegacia e é preso
18:05 Preso rapaz que estuprou e matou criança de 8 anos


18:04 Exame identifica segunda ossada de mulher desaparecida
18:04 Irmãos são assassinados e levados para UPA que acaba fechada
18:03 Coronel confessa grampo a pedido de Pedro Taques
18:01 Erros de advogados iniciantes
18:00 Capital humano
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2018