Sábado, 18 de novembro de 2017 Edição nº 14818 13/09/2017  










SAFRA 2016/17Anterior | Índice | Próxima

Saldo agrícola consolida produção de MT

Ciclo chega ao fim com números recordes ao Estado: produção inédita, ganho de produtividade, aumento na participação do total nacional e liderança absoluta

DIVULGAÇÃO
Mato Grosso consolida, pelo sexto ano seguido, a liderança nacional na produção de grãos e fibras
MARIANNA PERES
Da Editoria

A safra 2016/17 chegou ao fim e os números finais de mais um ciclo agrícola no país foram divulgados ontem pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab). Nesse balanço, Mato Grosso consolida, pelo sexto ano seguido, a liderança nacional na produção de grãos e fibras, como exibe resultados inéditos que só consolidam a presença, a participação e a importância da atividade mato-grossense no agronegócio estadual. Nessa temporada, o Estado sozinho oferta 26% do total nacional, ao contabilizar saldo inédito de 61,9 milhões de toneladas (t).

Grãos, como a soja e o milho, garantiram o volume e o peso dos resultados, já que somente com a oleaginosa foram 30,5 milhões de toneladas e outras 28,6 milhões/t com o cereal, o que equivale a pouco mais de 95% do total.

Considerando as séries históricas da Conab ao Estado, Mato Grosso sempre ofertou um percentual entre 23% e 24% da produção nacional. Nessa safra, o total produzido pelas lavouras mato-grossenses supriu em mais um terço o total ofertado pelo Brasil nesse ano. Conforme o balanço da Conab, das 238,7 milhões/t de grãos colhidas no país nessa safra, 25,9% são de Mato Grosso.

Bem distantes da liderança mato-grossense, estão em segundo e terceiro lugar em volume ofertado, o Paraná – que passou de 35,84 milhões/t para 41,30 milhões/t – e o Rio Grande do Sul – de 33 milhões/t para 36,24 milhões/t – com expansão anual de 15,3% e 9,7%, respectivamente.

O avanço na participação estadual, no total nacional ofertado nessa safra, é consequência imediata do incremento registrado na produção e na produtividade, que fechou o ciclo em 42,7% e 32,2%, ante o consolidado da safra 2015/16, respectivamente. Além desses, outro importante indicador, o de área plantada, conduziu aos bons resultados, já que a superfície cultivada em Mato Grosso cresceu, na mesma comparação anual, 8%.

Detalhando os números da Conab, que fazem parte do 12º Levantamento de Safra 2016/2017, e último, a produção mato-grossense passou de 43,42 milhões/t na safra passada para 61,98 milhões/t, o que resultou no salto de 42,7%, o maior observado entre os grandes estados-produtores brasileiro. Em relação à produtividade, o ganho de mais de 32% entre uma safra e outra, também é recorde e é o maior dos últimos anos. A produção média por hectare plantado rendeu na safra 2016/17, 4.100 quilos, ante 3.101 quilos. A área plantada somou 15,11 milhões de hectares contra 14 milhões do ciclo anterior.

CULTURAS – Das 61,9 milhões/t, quase 60 milhões foram geradas apenas com a safra verão de soja e com a segunda safra de milho. Culturas, que junto com o algodão e mais o girassol, fazem do Estado o maior produtor nacional de cada uma delas.

O maior ganho anual em volume produzido veio do milho safrinha. Depois de uma safra frustrada pelo clima no ciclo 2015/16, Mato Grosso aumentou em praticamente 90% a oferta, que nesse ano soma 28,61 milhões/t. Área e produtividade também tiveram relevância no saldo. A superfície passou de 3,76 milhões de hectares para 4,60 milhões, aumento anual de 22,2%. No rendimento por hectare, o milho literalmente pipocou, aumentou em 55,3% a produtividade, ao atingir 6,212 quilos ante 3.999.

Entre as maiores produções do Estado, o segundo maior crescimento anual foi registrado na soja, cuja safra estava consolidada desde maio, um mês após ao fim da colheita. A produção atingiu ganho anual de 17,2%, ao atingir 30,5 milhões/t, ante 26 milhões/t. A área plantada teve crescimento de 2% e a produtividade de 14,9%, já na safra 2015/16 o clima adverso atingiu o potencial de desenvolvimento das plantas. Naquele ano o rendimento caiu para 2.848 quilos/ha e nesse ano passou a 3.273 quilos.

Outra expansão de peso foi registrada na produção de algodão. A produção voltou a ultrapassar o teto de um milhão de toneladas de pluma e o resultado é uma alta anual de 14,9%. Foram beneficiadas m 1,01 milhão de toneladas de algodão em pluma, ante 889,5 mil/t no ciclo anterior. A área plantada evoluiu 4,5% e a produtividade em 9%.

Como já haviam avaliado o setor produtivo estadual, no decorrer da safra, o clima foi o grande diferencial positivo dessa safra. Aliado aos investimentos realizados pelos produtores foi possível consolidar uma safra de dados gigantescos e históricos para Mato Grosso.

BALANÇO – A produção brasileira de grãos atingiu 238,78 milhões de toneladas de grãos, aumento de 28%. Serão 52,17 milhões de toneladas, a mais, produzidas no país.



Anterior | Índice | Próxima

Comentários Deixe aqui sua opinião sobre esse assunto




19:19 Estado consulta União sobre prazo
19:19 Aliados de prefeito confirmados em CPI
19:18 Ferramenta permitirá cidadão controlar gastos públicos
19:18 Inquérito de conselheiros do TCE vai para o STJ
19:18 Estado economizou R$ 1 bilhão em gastos


19:17 Dinheiro do FEX pode atrasar, diz Wellington Fagundes
19:17 Governo estuda ‘revender’ dívida
19:09 Bosaipo é condenado a 18 anos
19:09 BOA DISSONANTE
19:08 Família: a construção da vida
Cuiabá
Min: 18°
Max: 36°

TOPO | PRIMEIRA PÁGINA | ÚLTIMAS NOTÍCIAS | POLÍTICA | ECONOMIA | CIDADES | POLÍCIA | ESPORTES
BRASIL | MUNDO | DC ILUSTRADO | CUIABÁ URGENTE | EDITORIAIS | ARTIGOS | AZUL | TEVÊ | E-MAIL
Diário de Cuiabá © 2015